Ipea: empregador determina escolha do banco para 35% dos clientes

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 11 de janeiro de 2011 as 14:40, por: cdb

São Paulo – Cerca de um terço dos clientes dos bancos (35,3%) não escolhe a instituição financeira onde vai depositar seus rendimentos, apenas segue uma definição do empregador. Essa é uma das constatações do estudo Bancos: Exclusão e Serviços, lançado hoje (11) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

A tradição e a relação familiar com o banco aparecem em segundo lugar, como opção de 17,5% dos entrevistados. A confiança foi o terceiro item mais escolhido, apontado por 17,2% dos pesquisados.

Em relação às funções do banco, para 62,1% dos entrevistados a principal finalidade é guardar e movimentar dinheiro. Oferecer produtos e serviços é a tarefa mais importante dessas instituições para 29,5% das 2.770 pessoas ouvidas. Enquanto emprestar dinheiro é a função fundamental para apenas 4,5%.

Na faixa de maior renda – acima de 20 salários mínimos –, no entanto, o crédito ganha importância e aparece como principal função para 7%. O grupo de 5 a 10 salários mínimos foi o que menos destacou a função do crédito, somente 2,7% considerou essa a principal finalidade das instituições.

Para o Ipea, esse dado é preocupante, pois pode indicar que uma parcela dessas pessoas, que não percebe o banco como agente de crédito, busca empréstimos em outros meios, “nem sempre lícitos ou bem regulados, mas que, com certeza, a oneram de forma mais abusiva”.

Edição: Talita Cavalcante