Investigações apontam para irresponsabilidade de pilotos, diz delegado

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 22 de janeiro de 2007 as 22:09, por: cdb

O inquérito da Polícia Federal deve indicar que os dois pilotos norte-americanos do jato executivo Legacy e os controladores de vôo que os monitoravam são responsáveis pelo acidente que matou 154 passageiros do Boeing 737 da empresa aérea Gol, adiantou o delegado da Polícia Federal (PF) co-responsável pelo inquérito, Renato Sayão Dias.

– Os pilotos deixaram de observar o correto funcionamento dos equipamentos de segurança – , garante Sayão.

– Quanto aos controladores, até o momento, na nossa ótica, há fortes indícios de que eles falharam -, disse.

O delegado disse que ainda não é possível determinar se o possível erro teria ocorrido no Cindacta de Brasília ou de Manaus.

Em dezembro, a PF indiciou os pilotos Jan Paladino e Joe Lepore por crime culposo. Mas nenhum controlador de vôo foi indiciado até o momento. Na interpretação de Sayão, por serem militares eles só podem ser indiciados pela Justiça Militar.

Para Sayão, o prazo de mais 30 dias concedido pela Justiça Federal na última terça-feira para que a PF conclua as investigações sobre as causas do acidente será insuficiente. De acordo com o delegado, o ideal seria, no mínimo, mais 60 dias.

– Não há perícia simples de se fazer. A própria Aeronáutica já anunciou que só deve terminar suas investigações no final de 2007. Nós também precisaríamos de um prazo um pouco maior
que os 30 dias -, defendeu.

Além de ainda ter de ouvir os controladores de vôo de Manaus, a PF aguarda que o Instituto Nacional de Criminalística conclua sua perícia. A PF também solicitou o conteúdo integral dos dados das caixas-preta de ambas as aeronaves. Para a Embraer, pediu dados sobre as caixas-preta dos aviões, documentações técnicas e sobre os transponders e TCAs do jato e do Boeing.

A PF também pediu ao Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea) as imagens dos radares de Brasília e de Manaus e a gravação contendo a conversa integral entre os controladores e os pilotos. Segundo a assessoria da PF, o Decea ainda não respondeu os pedidos.