Interpol ordena prisão de Fujimori

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 8 de março de 2003 as 19:22, por: cdb

A Interpol determinou a prisão do ex-presidente peruano Alberto Fujimori, refugiado no Japão, por crimes contra a humanidade, informou neste sábado o ministro da Justiça do Peru, Fausto Alvarado.

A ordem de prisão aconteceu depois que o Peru enviou ao escritório central do organismo policial internacional a informação que sustenta as acusações sobre a responsabilidade de Fujimori em crimes de lesão à humanidade durante a década de 1990, quando estava no poder.

“O escritório principal da Interpol em Lyon firmou a ordem de busca e captura para fins de extradição contra Alberto Fujimori,” disse Alvarado em entrevista à rádio local RPP.

Fujimori refugiou-se em Tóquio em novembro de 2000 na esteira de um escândalo de corrupção protagonizado por seu assessor Vladimiro Montesinos. Esta semana, porém, o ex-presidente disse a simpatizantes que estava disposto a regressar ao Peru para seguir sua carreira política.

“A ordem de busca e captura internacional do ex-presidente se faz pelos delitos de homicídio qualificado, lesões graves e desaparecimento forçado, considerados como crimes de lesão à humanidade,” afirmou Alvarado.

Em 2001, o governo peruano solicitou à Interpol que iniciasse as buscas de Fujimori por causa de responsabilidade na morte de 25 pessoas executadas por um esquadrão da morte entre 1991 e 1992. Porém, a Interpol pediu à Justiça peruana que respondesse um questionário de 45 perguntas para sustentar as acusações contra Fujimori sobre os assassinatos. A informação foi enviada esta semana.

O governo de Alejandro Toledo mantém uma campanha internacional para cerrar o cerco a Fujimori e segue os trâmites para extraditá-lo, uma vez que o Peru e o Japão não tem um tratado nesse sentido.

No entanto, o ministro da Justiça peruano garantiu que a ordem de prisão internacional da Interpol poderia conduzir à extradição de Fujimori, ainda que reconheça que o tema esteja sendo analisado a nível diplomático.