Inter empata em 1 a 1 com a Ponte

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 30 de março de 2003 as 22:37, por: cdb

O Internacional estreou no Campeonato Brasileiro 2003 com um empate diante da Ponte Preta em 1 x 1, na tarde desse domingo, no estádio Beira-Rio. O clube paulista largou na frente, com gol de Jean, mas o Colorado gaúcho buscou o empate no segundo tempo, através do jovem craque Diego. Há quatro anos o Inter não conseguia um ponto sequer em jogos de estréia nessa competição.

Aos 7min do primeiro tempo o meia Cleiton Xavier, após excelente jogada do centroavante André pela ponta-direita, errou o chute de dentro da pequena área. Uma chance quase imperdível que, ao ser desperdiçada, lembrou à torcida a tragédia da quarta-feira anterior, quando o time gaúcho foi eliminado da Copa do Brasil pelo Remo, de Belém do Pará – apesar de ter vencido por 2 x 1 -, exatamente por ter desperdiçado várias oportunidades de marcar.

O gol de Jean, no primeiro contra-ataque da Ponte, aos 16min, aproveitando rebote do goleiro Clemer, aumentou na torcida vermelha a trágica perspectiva de que as coisas iriam outra vez dar errado. Uma previsão que ia se confirmado após cada ataque desperdiçado, embora fosse claro que a melhor produção era do Inter.

Mas os torcedores não queriam saber de produção sem objetividade e, aos poucos, começaram a vaiar o time, especialmente ao volante Flávio, que errava passes com freqüência. Só que não foi Flávio a ser sacado do time pelo técnico Muricy Ramalho e sim o zagueiro André Cruz, que sentiu o músculo da coxa e teve de deixar o gramado aos 35min, substituído pelo jovem Thiago Matos.

O Inter ficava, com isso, ainda mais ofensivo e, em conseqüência, a Ponte Preta do técnico Abel Braga se encolhia, passando a impressão de que a qualquer momento cederia o empate. Mas isso não aconteceu até os 45min daquela etapa.

“Não foi um bom primeiro tempo”, resumiu o treinador colorado Muricy Ramalho, insatisfeito com o seu time. Abel, pelo lado da Ponte, apesar da vitória parcial, também não estava gostando do que estava acontecendo: “Estamos errando muitos passes, temos de acertar”.

Lesionado, um dos principais jogadores do time paulista, Piá, nem voltou para o segundo tempo, substituído por Ângelo. Um desfalque para facilitar as ações do Inter, time desesperado em busca do empate.

Aos 11 e 12min, na pressão colorada, por duas vezes o Inter tentou acertar o gol e a bola bateu na mão de defensores da Ponte. Mas em nenhum dos casos o toque foi intencional, o que fez justas as decisões do árbitro paranaense Carlos Magno de não assinalar os pênaltis.

E quanto mais o time gaúcho desperdiçava chances de marcar, mais aumentava a indignação dos torcedores no Beira-Rio, pois viam se repetir a rotina de tragédias em estréias na competição.

Abel Braga, buscando aproveitar-se da intranqüilidade do adversário, colocou Vaguinho no lugar do meia Luizinho Vieira e assim procurou confundir ainda mais a Muricy Ramalho, que reagiu aos 33min, incluindo o jovem centroavante Nilmar, 19 anos, no lugar do volante Flávio.

A tentativa desesperada do técnico do Inter parecia dar em nada e, para piorar, aos 40min o goleiro Clemer defendeu com a mão uma bola fora da grande área e acabou expulso. Daniel Carvalho, atacante, teve de deixar o gramado sob os gritos, sob vaias, para deixar entrar o goleiro reserva Luisão.

Tudo parecia perdido, mas André,o melhor dos atletas colorados, inesperadamente, construiu, aos 42min, uma excelente oportunidade pela esquerda, cruzando rasteiro para que Diego conseguisse o empate. Foi o seu primeiro gol com a camisa do time principal.

INTERNACIONAL 1 X 1 PONTE PRETA

Internacional:
Clemer; Fernando Cardozo, Wilson e André Cruz (Thiago Matos); Cleiton Xavier, Flávio (Nilmar), Gavilán e Edu Silva; Diego, Daniel Carvalho (Luisão) e André
Técnico: Muricy Ramalho

Ponte Preta:Alexandre Negri; Carlos Alexandre, Gabriel, Rodrigo e Alan; Roberto, Piá (Ângelo), Adrianinho e Luizinho Vieira (Vaguinho); Jean e Sergio Alves (Luiz Carlos)
Técnico: Abel Braga

Data: 30/03/2003 (domingo)
Local: Est