Intelectuais israelenses criticam vigilância sobre partidos e organizações de direitos humanos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 9 de janeiro de 2011 as 18:05, por: cdb

>
09/01/2011Intelectuais israelenses criticam vigilância sobre partidos e organizações de direitos humanos

Da Telam

Brasília – Cerca de 30 professores universitários, escritores e artistas israelenses enviaram uma carta ao congresso do país criticando a aprovação de um plano para a formação de um comitê parlamentar para vigiar partidos políticos e organizações não governamentais de direitos humanos que questionem a conduta do exército na repressão aos palestinos.

O plano foi aprovado semana passada com votos do Likud (partido do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu) e de parlamentares ultranacionalistas. Segundo o governo israelense, a publicação de informações sobre violações de direitos humanos nos territórios palestinos ocupados por Israel, “estão ajudando os inimigos do país”.

Para os intelectuais israelenses que assinam a carta, a medida é “fascista” e atenta contra a democracia em Israel.