Inquérito vai apurar se Lula e amigos têm conta no exterior

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 16 de maio de 2006 as 13:29, por: cdb

A Polícia Federal instaurou inquérito, nesta terça-feira, para apurar denúncia publicada pela revista Veja desta semana, segundo a qual o diretor-geral da PF, Paulo Lacerda, teria uma conta em paraíso fiscal. A revista traz uma lista que teria sido obtida com Daniel Dantas, controlador do banco Opportunity, com dados detalhados das supostas contas no exterior de autoridades e integrantes do governo. A lista cita, inclusive o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O inquérito vai verificar, ainda, a autenticidade do relatório apresentado pela revista. Paulo Lacerda colocou à disposição a abertura de seu sigilo bancário tanto no Brasil quanto no exterior. Por meio de nota, a PF informou que deve pedir explicações a todos os envolvidos no caso, inclusive do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, também citado na reportagem.

Na manhã desta terça, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Senado que investiga a relação das casas de bingo com a lavagem de dinheiro e o crime organizado promoveu reunião administrativa para discutir assuntos internos e votar requerimentos. Uma das propostas apreciadas foi o pedido de convocação do banqueiro Daniel Dantas e da irmã dele, Verônica Dantas, mas as discussões se prolongaram para o início da tarde.

Líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM) defendeu na CPI o requerimento para a convocação do banqueiro e de dirigentes do Citibank para que eles relatem tudo o que sabem sobre a lista de contas bancárias de integrantes do PT, entre eles, o presidente Lula, em paraísos fiscais no exterior. O senador afirmou ter urgência nas apurações.

Se o governo impedir a aprovação do requerimento, Arthur Virgílio ameaçou com a possibilidade de propor uma CPI específica para investigar este caso, fator que não gostaria que ocorresse.

O senador afirmou que, por enquanto, o que tem de concreto é a acusação da irmã de Dantas de que o presidente Lula e os ex-ministro José Dirceu e Antônio Palocci tentaram extorquir o banco Oportunity em 2002 e 2003. Segundo o senador, Verônica alegou que a extorsão era para não dificultar os caminhos do grupo no governo petista.

Ao ser questionado se as acusações reforçariam a idéia de propor o impeachment do presidente Lula, o senador disse preferir ter as coisas mais concretas para pensar nesta hipótese.