Inmetro não aprova pardais que multam os cariocas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 26 de abril de 2006 as 23:48, por: cdb

Pardais sem Lei
Acredite se quiser. Até agora o Inmetro não aprovou as normas técnicas para que sejam aferidos os pardais eletrônicos que multam os motoristas desavisados. Essas normas técnicas são obrigatórias e o Contran vem adiando o cumprimento da exigência. Traduzindo: todos os pardais existentes no país estão funcionando – e multando – na clandestinidade, sem a periódica aferição, exigida em lei. Mas uma forma desonesta do Estado meter a mão no bolso do cidadão.

No estaleiro
Boris Casoy já foi procurado por duas emissoras para voltar à TV. Mas o problema é o valor do contrato. Ele ganhava mais de R$ 700 mil por mês na TV Record. Como o contrato foi rescindido com 11 meses ainda a vencer, sua indenização passará de R$ 10 milhões. E ele já ganhou na Justiça, em primeira instãncia.

Algo no ar
A crise da Varig faz lembrar a Aeroflot. Com o fim da União Soviética, a maior empresa aérea do mundo foi desmembrada em diversas companhias regionais. A frota encolheu para apenas 103 aeronaves. O enxugamento a salvou, mas sua sobrevivência depende do Estado. No Brasil, tenta-se fazer o mesmo: salvar a Varig às custas do Estado.

Meio de vida
O ex-ministro Nelson Jobim sonhou alto – com a presidência da República, a vice-presidência ou o governo gaúcho. Mas agora caiu na real e voltou a dividir o escritório de advocacia com seu sócio Eduardo Ferrão. Além disso, está cuidando do corpo pelo método Pilates, novo modismo em matéria de ginástica. Aos jornalistas, Jobim diz que desistiu da política. Será?