Informe destaca empreendedorismo de mulheres indígenas na economia do país

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 1 de setembro de 2011 as 15:31, por: cdb

“Asmulheres indígenas desempenham papel de protagonista na atividade econômica dopaís”. Isso é o que afirma o terceiro informe temático Contribuição das Mulheres Indígenas na Economia da Guatemala,apresentado na última terça-feira (30) pela Defensoria da Mulher Indígena(Demi).

Orelatório, que destaca as contribuições das indígenas em áreas que aindaestavam invisíveis, apresenta as mulheres indígenas como empreendedoras daspróprias empresas, participantes do intercâmbio comercial nos mercados local,nacional e internacional, e produtoras de bens para o consumo familiar e para asustentabilidade do lar.

Deacordo com a Defensoria, as mulheres indígenas estão concentradasprincipalmente nos pequenos negócios. As profissionais ou técnicas, segundo oinforme, trabalham de forma independente ou em instituições públicas ouprivadas.

Orelatório ainda aponta que elas atuam nos setores produtivos e reprodutivos, ouseja, trabalham tanto em atividades econômicas quanto em ações para odesenvolvimento humano, como atividades sociais, comunitárias, religiosas, espirituaise ambientais. Mesmo com o aumento da procura por mulheres para trabalhar nocultivo e na colheita agrícola, o documento revela que as remunerações que elasrecebem ainda são desiguais.

Combase em informações da Enquete Nacional de Condições de Vida de 2006, o informemostra que 20,2% das mulheres que estão no mercado de trabalho atuam no setorda manufatura. Desse total, 49% são indígenas.

Asmulheres também estão presentes nos setores de serviços e comércios. SegundoDemi, 62,7% das mulheres guatemaltecas que estão no mercado de trabalho atuamnessas áreas. Dessas, 28% são indígenas. “No trabalho de serviço domésticopago, diferente de outras atividades, acaba predominando as mulheresindígenas”, revela.

Aapresentação do informe ainda destaca a contribuição das mulheres indígenas nasáreas da saúde e da biodiversidade. De acordo com o relatório, as indígenasoferecem os conhecimentos culturais de práticas ancestrais e espirituais para ajudarna saúde da família e na reprodução das mulheres.

Nocampo da biodiversidade biológica, o relatório ressalta que as mulheresindígenas são “as protetoras e conservadoras da biodiversidade biológica desdea cosmovisão dos povos indígenas”.

Ovídeo de apresentação do informe está disponível em: http://demi.gob.gt/noticias_detalle.asp?clc=249&id=3835