Inflação termina o ano dentro da meta, prevê o BC

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 13 de novembro de 2006 as 12:14, por: cdb

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que serve de parâmetro para a meta de inflação, deve encerrar este ano em 3,05%, de acordo com os cálculos de uma centena de analistas de mercado e de instituições financeiras consultados pelo Banco Central. A pesquisa consta do boletim Focus, divulgado nesta segunda-feira pelo BC. O número está levemente acima dos 3% estimados na semana anterior, em virtude do aumento dos preços de alguns alimentos além do esperado, no mês passado. Mas o impacto é mínimo, no entender dos analistas, que prevêem IPCA de 0,35% tanto em novembro quanto em dezembro e estimam que a inflação nos próximos 12 meses será 4,09%. Na semana passada, esse índice foi estimado em 4,07%.

Essa é a terceira semana seguida de mudança de sinal para a inflação no varejo, depois de quedas gradativas ao longo de três meses, até bater na menor previsão, de 2,98%, quando então voltou a subir. Mas, a projeção ainda se mantém abaixo do centro da meta de 4,5%, determinada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). A previsão de inflação para 2007 também está menor que a meta, e deve ficar em 4,12% nos cálculos dos economistas. O aumento nos preços dos alimentos, principalmente da carne bovina em época de entressafra, elevou o Índice de Preços ao Consumidor, da Fundação Instituto de Pesquisa Econômica (IPC-Fipe), da Universidade de São Paulo (USP), de 1,73% para 1,82%. Mas, esse indicador se refere ao comportamento de preços apenas na capital paulista.

De acordo com o boletim Focus, os preços administrados por contrato, ou monitorados (combustíveis, energia elétrica, telefonia, transporte urbano, medicamentos, educação e outros) vão fechar o ano com inflação estimada de 4%, com possibilidade de aumentar para 4,5% no ano que vem. Os preços administrados têm peso de quase um terço na composição do IPCA. Os preços no mercado atacadista também estão em alta, como mostram dois indicadores da Fundação Getúlio Vargas (FGV). O Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) evoluiu de 3,19% para 3,70% na semana, enquanto o Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) subiu de 3,43% para 3,67%.