Inflação para idosos cai ao longo do ano passado

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 6 de janeiro de 2006 as 11:23, por: cdb

O Índice de Preços ao Consumidor da Terceira Idade registrou alta de 1,54% no quarto trimestre, seguindo a deflação de 0,19% nos três meses anteriores, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta sexta-feira. Em 2005 como um todo, o indicador apurou inflação de 5,05%, abaixo da taxa de 6,58% do ano anterior. A aceleração no trimestre deveu-se a aumentos de preços dos grupos Alimentação, Habitação e Transportes, pressionados sobretudo por, respectivamente, hortaliças e legumes, luz, gás e telefone e combustíveis e lubrificantes.

Em outubro o índice da terceira idade subiu 0,37%, em novembro, 0,65% e em dezembro, 0,51%. A pressão em novembro decorreu dos alimentos in natura. Em 2005, “as cinco principais influências positivas foram provenientes de preços administrados, que responderam por aproximadamente 37% da taxa”, disse a FGV em comunciado.

“Em sentido contrário, as cinco maiores influências negativas de 2005 pertencem ao grupo Alimentação, que entre as sete classes de despesa do índice registrou a segunda menor taxa em 2005, (de alta) de 3,11%”, acrescentou a instituição. Entre os grupos, a menor variação positiva ficou com Vestuário, de 2,14%, e a maior, com Transportes, de 8,24%.

As principais altas de itens individuais em 2005 foram de plano e seguro saúde (11,72%), energia elétrica (7,3%), água e esgoto (15,01%), telefone fixo (5,53%) e ônibus urbano (14,26%).  As variações negativas individuais mais significativas vieram de leite longa vida (-9,73%), limão (-42,65%), mamão papaia (-18,52%), arroz branco (-16,74%) e óleo de soja (-15,86%).