Indústria está mais satisfeita com os negócios, aponta FGV

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 28 de abril de 2006 as 11:33, por: cdb

A atividade industrial verificada em abril deste ano seguiu a tendência de reaquecimento iniciada em janeiro de 2006. A constatação é da 159ª Sondagem da Indústria de Transformação do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (IBRE/FGV), divulgada nesta sexta-feira.

Os dados revelam que a indústria está mais satisfeita com a situação atual dos negócios, principalmente em função da recuperação do nível de demanda e o ajuste de estoques. Entre janeiro e abril deste ano, a proporção de indústrias que avaliam a situação dos negócios como boa pulou de 16% para 27%, enquanto a das que julgam fraca manteve-se em 20%.

Esta diferença de sete pontos percentuais entre os dois extremos da avaliação é a maior desde janeiro do ano passado. O nível de demanda foi considerado forte por 18% das indústrias e, fraco, por 16%. A diferença positiva de dois pontos percentuais entre as avaliações de fraco e forte supera o saldo negativo de 1 ponto percentual observado no mesmo período do ano anterior e o de – 4 pontos percentuais da média em meses de abril dos últimos dez anos.

Para 23% das empresas consultadas, a demanda foi o fator de limitação à expansão da produção em curto prazo, registrando a menor freqüência desde abril do ano passado (19%). Em janeiro, este foi o fator limitativo citado por 29% das indústrias.

Apesar do maior aquecimento produtivo, a capacidade da indústria de transformação apresentou ligeira redução em seu nível médio de utilização. Com o ajuste sazonal, o nível ficou em 83,5%, inferior aos 84,4% registrados em janeiro.