Indústria de PCs deve se recuperar no segundo semestre

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 29 de agosto de 2001 as 18:25, por: cdb

O período de tormentas para o mercado de PCs na América Latina já está passando. Esta é uma das principais conclusões de um estudo recente do instituto de pesquisas IDC, onde aponta para o fato de que o segundo semestre do ano será um período de recuperação, levando o setor a fechar o ano de 2001 com crescimento de 10% em toda a região.

Segundo os analistas, o segmento apresentou um pequeno crescimento (2%) já no segundo trimestre deste ano, apesar dos fracos resultados mundiais. Os números do pesquisa do IDC mostram ainda que as entregas de desktops e notebooks no mercado latino-americano foram em torno de 1,8 milhão de máquinas.

O estudo mostra também que grandes nomes da indústria internacional de PCs como Compaq, Hewlett-Packard e IBM continuam na liderança aqui na América Latina, mas já começam a ser ameaçados pelo desempenho da Dell Computer na região, que cresceu 46% em relação ao segundo trimestre do ano passado.

Esse crescimento da Dell indica, inclusive, que a empresa parece finalmente ter acertado em sua estratégia para conquista do mercado na região apesar de algumas dificuldades e complicações iniciais como o processo de instalação da fábrica no Brasil.

De acordo com a pesquisa, um dos poucos mercados que podem comprometer o desempenho da região é o argentino por conta da profunda crise econômica enfrentada atualmente por aquele país, com uma possível e significativa queda das vendas de computadores, na Argentina, em relação ao ano passado.

Em relação ao Brasil, as informações da pesquisa do IDC revelam que o consumidor brasileiro já começou a assimilar o impacto da crise energética e da política de racionamento do governo e volta a comprar eletro-eletrônicos como computadores.

Os números da IDC, entretanto, são ligeiramente diferentes dos apresentados por outro conhecido instituto norte-americano de pesquisa de mercado, o Dataquest. De acordo com o levantamento trimestral divulgado pelo instituto, as vendas do mercado de microcomputadores na região cresceram 12% no segundo trimestre deste ano, com cerca de 1,7 milhão de unidades comercializadas durante o período.

Segundo o Dataquest, o Brasil e a Venezuela foram os principais responsáveis pelo crescimento do mercado na América Latina, com um crescimento de 28% e 84%, respectivamente, sendo que o Brasil respondeu por uma fatia em torno de 44% de todos os PCs vendidos na região.