Índios libertam reféns em MG

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 19 de março de 2007 as 20:36, por: cdb

Índios de uma aldeia Pataxó em Carmésia, em Minas Gerais, libertaram no início da noite desta segunda-feira os dois funcionários da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) que eram mantidos reféns desde a semana passada. Os pataxós exigiam melhorias no atendimento médico à tribo. O sociólogo Altino Barbosa Neto, chefe do distrito sanitário indígena da Funasa em Governador Valadares, e o coordenador técnico da área indígena, Antônio Divino de Souza, foram libertados após uma reunião em que foi firmado um termo de ajustamento de conduta (TAC).

A coordenação da Funasa em Belo Horizonte não soube informar o conteúdo do TAC, elaborado durante uma reunião na prefeitura local, da qual participaram dois procuradores federais, representantes da fundação e da aldeia pataxó, entre outros. O desfecho do caso foi comemorado como uma vitória pelas lideranças indígenas.

A cacique Apinaera Pataxó disse que o termo garante que a Funasa cumpra o seu papel “de como deve ser tratada a saúde indígena”.