Índios cobram nos EUA demarcação de reserva

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 29 de março de 2004 as 21:13, por: cdb

Os índios da reserva brasileira de Raposa Serra do Sol, em apresentaram uma denúncia nesta segunda-feira à Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) exigindo que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva ratifique a demarcação das terras das tribos da região, informou um dos advogados do caso à AFP. “Queremos que a CIDH recomende ao governo brasileiro a conclusão do processo de demarcação e, portanto, faça a demarcação dessas terras”, explicou a advogada Isabela Figueroa, que apresentou a denúncia com sua colega e índia Joenia Batista.

“O processo de demarcação começou há mais de 30 anos”, lembrou. “Ainda falta um passo, que é a confirmação pelo presidente da República”, acrescentou. A advogada afirma que, além de não ratificar o processo, o governo brasileiro também fomenta a colonização do setor indígena”. Isabela Figueroa destacou ainda que a “colonização da reserva leva a muita violência, muito racismo e muitos problemas ambientais para cerca de 15 mil índios de cinco grupos” que vivem na região.

Em janeiro passado, agricultores, com o apoio de alguns índios, bloquearam as estradas do estado de Roraima e invadiram edifícios públicos, pedindo que a reserva não fosse oficializada conforme estava estabelecido. O governo Lula anunciou então que a reserva seria oficializada no final de janeiro, incluindo um município e terras de brancos que receberam indenizações e terão de deixar o local.

A reserva tem 1,7 milhão de hectares na fronteira com a Venezuela e a Guiana, e a maioria de seus moradores é da etnia Macuxi.