Indígenas pedem solução para morte de menino no RS

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 23 de setembro de 2003 as 14:01, por: cdb

Vinte índios, com pintura característica de luto, participaram nesta terça-feira de reunião com delegados e prefeito de Passo Fundo (RS) para pedir investigação rigorosa sobre a morte do menino caigangue Júnior Reis Loureiro. A criança estava desaparecida há oito dias e foi encontrada ontem em frente a cemitério com sinais de asfixia mecânica.

De acordo com a Rádio Gaúcha, 14 policiais e dois delegados participam da investigação das mortes de Júnior, de Jéferson Borges Silveira, 10 anos, assassinado na primeira semana de setembro, e de menino ainda não-identificado cuja ossada foi encontrada no sábado. Há suspeita de que os restos mortais sejam de Alexandro Silveira, 13 anos, desaparecido desde março.

Os delegados que atuam no caso não descartam a possibilidade de haver uma ligação entre as três mortes não solucionadas. O chefe da Polícia Civil do Estado, João Antônio Leote, viaja hoje para Passo Fundo para participar da audiência pública que ocorre amanhã na Câmara de Vereadores para discutir a violência contra crianças.

Desde o início do ano, oito crianças e adolescente foram mortos na região norte do Rio Grande do Sul e dois continuam desaparecidos. Na última sexta-feira, exame de DNA comprovou que a ossada encontrada em 7 de agosto na cidade de Soledade era de Jéferson Cristiano Garcia, 11 anos. Cristiano é um dos quatro meninos desparecidos no município. Sete pessoas foram indiciadas pelos crimes. Ainda não foi localizado o menino Douglas de Oliveira Haas, 10 anos. Os casos de violência envolvem ainda uma menina de Erechim e um adolescente de Espumoso.