Índia detém 50 suspeitos de atentado em Calcutá

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 24 de janeiro de 2002 as 00:38, por: cdb

A polícia indiana informou que deteve 50 pessoas suspeitas de ter ligação com o atentado ao prédio de uma representação do governo americano em Calcutá, na terça-feira. De acordo com a polícia, entre os suspeitos estão muçulmanos e quatro cidadãos de Bangladesh.

A Índia acusa militantes supostamente ligados ao principal serviço de inteligência do Paquistão pelo ataque. No atentado, quatro homens armados mataram a tiros cinco policiais e feriram outras 20 pessoas.

Apesar da detenção a polícia informou que ainda não há nenhuma acusação contra os suspeitos e o Paquistão classificou as acusações de “totalmente sem fundamentos”. Há cinco semanas, uma invasão do Parlamento indiano aumentou a tensão e o medo de novas ações similares no país. O governo paquistanês anunciou o fechamento de dois dos grupos acusados pela Índia de envolvimento na ação.

A Índia também informou que dois religiosos muçulmanos bengalis, que teriam atravessado a fronteira do país com Bangladesh ilegalmente, foram presos na cidade fronteiriça de Basirhat. A embaixada dos Estados Unidos e outros prédios que abrigam instituições americanas na capital Nova Délhi tiveram a segurança reforçada e estão em alerta máximo. Medida semelhante foi tomada com as representações diplomáticas da Rússia, da França e da Grã-Bretanha na Índia. De acordo com serviços de inteligência, há a possibilidade da convocação de uma greve contra interesses americanos na Índia. O protesto seria realizado antes do dia nacional da Índia, que vai ser comemorado no sábado.

Segundo os relatos da polícia indiana, quatro homens fortemente armados usando duas motos se dirigiram em alta velocidade contra o prédio da representação diplomática dos Estados Unidos. Ao invés de parar nas guaristas de segurança eles teriam atirado contra os guardas, que responderam a tiros.Cinco policiais morreram, mas os funcionários consulares conseguiram escapar em segurança.