Incêndio em floresta no Rio Grande do Sul pode ser criminoso

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 14 de novembro de 2006 as 21:40, por: cdb

O incêndio que começou na tarde desta segunda-feira, numa floresta de eucaliptos e pinus no Rio Grande do Sul já devastou 600 hectares em duas áreas de reflorestamento próximas ao litoral. Mais de 30 horas depois do início do incêndio, 450 homens ainda lutam para apagar as chamas. Suspeita-se que o incêndio seja criminoso.

Nos locais de difícil alcance, o trabalho é feito com galhos de árvores e enxadas. A região atingida fica próxima do mar, onde o vento é sempre muito forte e ajudam a propagar as chamas e dificultam o trabalho dos bombeiros. A cada rajada mais forte, o fogo atinge áreas onde o incêndio havia sido controlado e as chamas avançam rapidamente. Os bombeiros são obrigados a começar tudo de novo.

– O vento é o que mais dificulta, o vento está complicado -, comenta um bombeiro.

O trabalho deve continuar durante toda a noite. A expectativa é de que os focos só estejam totalmente controlados pela manhã de quarta-feira.

– Nós chegamos aqui e tinha mais de dez focos de incêndio. Isso quer dizer que foi um incêndio provocado, possivelmente foi de origem criminosa -, acredita o major Guido Pedroso, comandante dos bombeiros.

Os prejuízos ainda estão sendo calculados.