Imprensa européia e norte-americana abrem espaço para posse de Lula

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 2 de janeiro de 2003 as 18:54, por: cdb

Os principais jornais norte-americanos, franceses e ingleses noticiaram nesta quinta-feira a posse de Lula na Presidência do Brasil. Nota-se, em cada um deles, por suas tendências políticas, o tratamento editorial oferecido por cada um dos jornalistas destacados para cobrir a maior festa popular de Brasília, desde a visita do Papa João Paulo II, 1º de julho de 1980.

Na imprensa francesa não faltaram alertas ao novo presidente e críticas à administração de Jacques Chirac por sua indiferença em relação ao novo governo. Os principais jornais nacionais da França deram um espaço em sua primeira página à chegada ao poder do ex-sindicalista.

O Le Monde, de orientação centrista, com uma chamada no pé da primeira página, intitulou: “Brasil anseia por justiça com Lula”, enquanto o esquerdista Libération lhe dedicou espaço principal na primeira página e o saudou com um “Ao trabalho, Lula!”. Em suas páginas internas, o título da matéria foi “Olê, olá, Lula!”.

O Le Figaro, de direita, entretanto, não deu a notícia na primeira página e se limitou à reportagem do evento, destacando a presença na posse do presidente de Cuba, Fidel Castro, e de seu colega venezuelano, Hugo Chávez.

Le Monde lamentou em seu editorial que o governo do presidente Jacques Chirac tenha desperdiçado “uma ocasião de demonstrar que seus grandes discursos em favor do terceiro mundo não são apenas belas palavras”, ao ter enviado à posse o secretário de estado de turismo, Leon Bertrand, uma figura de segundo escalão ao nível político.

“Os membros do governo, começando pelo premier Jean-Pierre Raffarin e Dominique de Villepin, o ministro das relações exteriores, consideraram que tinham coisas melhores a fazer do que participar da posse de um homem portador de uma imensa esperança não só para seu povo, mas também para todos os povos da América Latina”.

Por sua vez, um redator de Libération, Gerard Dupuy, notou a prudência das promessas de campanha de Lula, mas advertiu sobre o desafio do novo governo.

“Com Lula é mais do que um homem e inclusive um partido que serão postos à prova, é a possibilidade mesma de reformas de fundo em um contexto democrático”, escreveu Dupuy.

Na Inglaterra, o Times registrou a posse em uma pequena matéria, na editoria internacional, com o título “Brasil festeja com Lula o início de uma nova era”. Já o Financial Times, vetusto diário de economia daquele país, acrescentou que “Os brasileiros vão à loucura na posse de Lula”, em uma matéria de fôlego na seção Mundo.

Já nos EUA, The New York Times na matéria do correspondente Larry Rohter, intitulada “Um esquerdista assume o poder e prega um ‘novo caminho'”, coloca suas prevenções em relação ao novo presidente.

“A maior nação da América Latina embarcou num ambicioso experimento político e social hoje, com Luiz Inácio Lula da Silva, líder do esquerdista Partido dos Trabalhadores, ex-torneiro mecânico e líder sindicalista, assumindo como presidente da República e prometendo “um novo estilo de governo”, além de uma cruzada contra a fome, a injustiça e a corrupção.”, diz o NY Times.