Imigrantes afegãos serão distribuídos por vários países

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 2 de setembro de 2001 as 15:41, por: cdb

O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur) levantou, neste sábado, dúvidas sobre o acordo entre a Nova Zelândia e a ilha de Nauru para aceitar 460 afegãos que estão isolados em um navio na costa da Austrália há uma semana e que reivindicam refúgio.

No começo do dia, o primeiro-ministro australiano John Howard anunciou que os dois países haviam concordado em cadastrar os afegãos.

Pelos termos do acordo, os ocupantes do navio deverão ser enviados para diversos países, inclusive Austrália e Nova Zelândia, afirmou o secretário de imprensa de Howard, Gary Dawson.

No final da tarde, porém, o Acnur questionou “alguns elementos cruciais” do plano e pediu que as partes envolvidas enviassem esclarecimentos.

Os afegãos foram resgatados pelo navio norueguês MV Tampa depois que a embarcação em que se encontravam, de bandeira indonésia, começou a afundar. O Tampa levou os passageiros até águas territoriais da Austrália, que, entretanto, proibiu o atraque do navio.

A Nova Zelândia concordou em cadastrar 150 dos ocupantes do Tampa, especialmente famílias inteiras, com mulheres e crianças. Os que forem considerados “refugiados genuínos” terão permissão para permanecer no país.

Outros serão cadastrados por Nauru, que dará abrigo a alguns e enviará os demais para Austrália e qualquer país “disposto a compartilhar o acordo”, segundo Howard.

A Austrália também concordou em pagar a Nauru os custos do processo de cadastramento.

O Acnur reafirmou ainda ser favorável à sua própria solução para o impasse, que inclui o desembarque temporário nas Ilhas Christmas, por “razões humanitárias”.