IGP-M cai 0,03 em novembro, diz FGV

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 29 de novembro de 2012 as 09:52, por: cdb

O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) registrou queda de 0,03% em novembro, ante variação positiva de 0,02% em outubro, influenciado principalmente pelo recuo dos preços no atacado e pela desaceleração dos alimentos no varejo, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV), nesta quinta-feira.

IGP-M
O índice foi influenciado pelo recuo no preço dos alimentos

Pesquisa da agência inglesa de notícias Reuters com 27 economistas mostrava expectativa de um recuo de 0,08% em novembro. As contas variaram de queda de 0,16% a alta de 0,15%.

Em 12 meses, o IGP-M avançou 6,96% e a taxa acumulada no ano é de 7,09%, de acordo com a FGV.

O indicador já havia iniciado a tendência de queda na primeira prévia do mês, mantendo o ritmo na segunda, influenciado pela deflação dos preços no atacado, movimento que voltou a se repetir.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que mede a variação dos preços no atacado e responde por 60% do índice geral, teve queda de 0,19% em novembro, ante recuo de 0,20% no mês anterior. Os destaques ficaram para a queda de 35,79% do tomate e o recuo de 4,68% do café em grão.

Em relação à origem dos produtos, a queda do IPA foi puxada pelos produtos agropecuários, com recuo de 0,41%, enquanto os produtos industriais caíram 0,10%.

Entre os estágios de produção, os preços dos Bens Finais registraram queda de 0,50%, ante alta de 0,07% anteriormente. No segmento Bens Intermediários, houve desaceleração para 0,25%, ante alta de 0,41% em outubro.

Já o índice de Matérias-Primas Brutas apresentou variação negativa de 0,41%, contra queda de 1,24% no mês anterior.

Varejo

Por sua vez, o Índice de Preços ao Consumidor, com peso de 30% no índice geral, desacelerou a alta para 0,33%, contra 0,58% visto anteriormente. O movimento foi puxado pelo do grupo Alimentação, que reduziu a alta de 1,08% para 0,08% em novembro.

Nesta classe de despesa, destacou-se o comportamento de carnes bovinas (3,05% para -1,06%), hortaliças e legumes (-6,34% para -11,98%) e arroz e feijão (6,36% para 1,91%).

Já o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registrou elevação de 0,23%, desacelerando ante alta de 0,24% em outubro. Dentro do INCC, que responde por 10% do IGP, o grupo mão de obra teve alta de 0,24%, enquanto os preços de materiais, equipamentos e serviços subiram 0,22%.

Além de medir a evolução do nível de preços, o IGP-M é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de energia elétrica e aluguel.

O IGP-M calcula as variações de preços no período entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência.

Na pesquisa Focus do Banco Central desta semana, analistas reduziram pela segunda semana seguida suas perspectivas para a inflação neste ano, projetando que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) encerrará 2012 a 5,43%.

Para 2013, a perspectiva foi ligeiramente elevada e agora prevê inflação de 5,40%.

Na semana passada, o IPCA-15, uma prévia da inflação oficial, mostrou desaceleração em novembro a 0,54%, ante 0,65% em outubro.