Contaminação radioativa atinge hortaliças na região de Fukushima

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 26 de março de 2011 as 09:40, por: cdb
Transferência de militares contaminados para uma unidade de saúde em Fukushima
Transferência de militares contaminados para uma unidade de saúde em Fukushima

As autoridades japonesas identificaram um nível elevado de radioatividade em uma alface de folha roxa, produzida na região de Ibaraki – entre a capital, Tóquio, e a área onde está a Usina Nuclear de Fukushima Daiicha, onde houve os acidentes nucleares. Porém, as autoridades afirmaram que não há risco à saúde humana. A verdura estava à venda em um supermercado de Nagoya.

O porta-voz do governo do Japão, Yukio Edano, fez hoje (26) mais apelos à população para que tenha calma e garantiu que o nível de contaminação existente no país não ameaça a saúde. As autoridades japonesas interditaram a venda de mais de uma dezena de legumes e de leite. Os produtos oriundos de quatro regiões próximas da central de Fukushima estão proibidos no país.

O primeiro-ministro japonês, Naoto Kan, ordenou também que fossem feitos testes em seis outras regiões. Vários países, entre os quais os Estados Unidos, Austrália, Canadá, Rússia e Taiwan, e os 27 que integram a União Europeia, anunciaram restrições à importação de produtos frescos japoneses.

Paralelamente, pelo terceiro dia consecutivo, os especialistas identificaram contaminação de radioatividade na água corrente de Tóquio. Mas as autoridades informaram que está liberado o consumo até mesmo para crianças e bebês.

Na última semana, os níveis registrados na água de Tóquio levaram as autoridades a pedir que os moradores da capital evitassem a água da torneira. Foram distribuídas 240 mil garrafas de 550 mililitros às famílias de 80 mil bebês de Tóquio e cinco outras cidades vizinhas.

Internacionalalimentoscontaminaçãodesastre nuclearjapãoradioatividadeterremototsunami