Ibama e Incra discutem bloqueio da BR-163 por madeireiros

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 1 de fevereiro de 2005 as 22:25, por: cdb

Representantes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e Ministério do Meio Ambiente discutiram hoje o bloqueio da rodovia BR-163, que liga Santarém (PA) a Cuiabá (MT).

Desde quarta-feira, a rodovia está bloqueada por manifestantes contrários a uma portaria do governo federal que trata do recadastramento de terras. A Associação da Indústria Madeireira de Santarém diz que o prazo estipulado é insuficiente – para terras com mais de 400 hectares, venceu ontem, 31 de janeiro.

O bloqueio de caminhões na estrada já ultrapassa 20 quilômetros, segundo manifestantes do Pará. A ação está prejudicando moradores da cidade Novo Progresso (PA), cujo prefeito, Tony Gonçalves, decretou estado de emergência e estipulou ponto facultativo até quarta-feira. Ele disse temer que a população se manifeste com violência: “Se brincar, vai virar um conflito de guerra armada.”

A cidade corre o risco de ficar sem combustível, alimentos e até energia. “Está começando a faltar combustível, verdura não tem mais, está começando a faltar comida. Em breve, vai faltar energia, porque é gerada a óleo e depende da rodovia”, explicou o prefeito.

Na segunda-feira, madeireiros tentaram fechar o Rio Amazonas mas foram impedidos pela Marinha. O presidente da Associação da Indústria Madeireira de Santarém, Audir Geovane Schimidt, disse que se as negociações com o governo não avançarem, os bloqueios vão se estender a outros locais da região.