Ibama convoca equipe para tirar invasores do Parque Nacional do Iguaçu

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 6 de outubro de 2003 as 23:49, por: cdb

A invasão no Parque Nacional do Iguaçu, no Paraná, por cerca de 300 pessoas na sexta-feira passada, obrigou Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) a deslocar uma equipe de Brasília para acompanhar as negociações e promover logo a desocupação da unidade ambiental.

Os invasores do parque abriram 17 quilômetros de estrada no município de Serranópolis até o Rio Iguaçu, onde foi colocada uma balsa para a travessia. De acordo com o Ibama, eles destruíram ainda a guarita do Posto de Fiscalização do órgão, no município de Serranópolis.

No domingo, a 1ª Vara Federal de Foz do Iguaçu deu liminar para busca e apreensão da balsa e outra visando a reintegração de posse. As polícias Federal, Rodoviária e Militar estão definindo a estratégia de atuação para cumprir a ordem judicial, sem criar incidentes.

Nesta segunda-feira, a Polícia Florestal encontrou coquetéis molotov no acampamento dos invasores. De acordo com a diretora de Ecossistemas do Ibama, Cecília Ferraz, que viajou de Brasília para acompanhar de perto a operação, a situação no local é tensa. “Há informações de que os invasores estão fortemente armados”, disse.

Apesar da possibilidade de confronto, a diretora do Ibama afirmou que não será negociada a abertura da Estrada do Colono, até porque o fechamento da estrada foi determinado judicialmente, em 2002, a pedido do Ministério Público.

Cecília Ferraz anunciou a assinatura de um convênio entre o Ministério do Meio Ambiente, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e Cultura (Unesco) e a Organização Não-Governamental Fundo Mundial para a Natureza (WWF) para potencializar o entorno de unidades de conservação declaradas patrimônios da humanidade, entre elas, o Parque Nacional do Iguaçu, o do Jaú, no Amazonas, e o da Costa do Descobrimento, na Bahia.