Hong Kong está livre da Sars

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 23 de junho de 2003 as 09:15, por: cdb

A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou que Hong Kong está livre da Síndrome Respiratória Aguda Grave (Sars na sigla em inglês), 20 dias depois do último caso confirmado de transmissão da doença na cidade.

Pouco antes do anúncio, a OMS classificou o fato como “um feito muito significativo na história do controle da Sars” – 296 mortes foram registradas na cidade.

Já em Toronto, no Canadá, duas novas mortes por Sars foram comunicadas no domingo – o que eleva o total para 38.

O Canadá é o único país fora da Ásia que comunicou mortes por Sars. As mortes de domingo foram de um homem de 55 anos e uma mulher de 81 anos, segundo o governo.

Concerto

As mortes foram anunciadas um dia depois de um concerto de seis horas em Toronto com o objetivo de mobilizar a cidade para o combate à epidemia.

Os 70 mil ingressos para o concerto foram vendidos em uma questão de horas. Artistas como Avril Lavigne, Diana Krall e Barenaked Ladies se apresentaram no espetáculo.

Em Hong Kong, apesar das comemorações pela retirada do nome da cidade da lista de lugares afetados por Sars, havia luto pela morte do segundo médico por causa da síndrome.

Cheng Ha-yan, de 30 anos, foi enterrado com honras em Gallant Garden, um cemitério especial para aqueles que morreram desempenhando com coragem suas funções.

O médico – o oitavo funcionário da área de saúde a morrer de Sars em Hong Kong – tinha se apresentado como voluntário para trabalhar em uma unidade de tratamento da doença.

O governador de Hong Kong, Tung Chee-hwa, o ministro da Saúde, Yeoh Eng-kiong, e o diretor do departamento de hospitais, William Ho, foram ao seu funeral.

Alerta

Um total de 1.755 pessoas contraíram Sars em Hong Kong desde o início da epidemia, há cerca de quatro meses.

Até agora, 28 ainda estão no hospital – incluindo 11 em terapia intensiva -, mas 1.410 se recuperaram e foram liberados de hospitalização.

A ex-colônia britânica foi retirada da lista de alertas de viagens da OMS no fim de maio.

Atualmente, apenas Pequim, capital da China, ainda está na lista de alertas da OMS. A China continental comunicou 347 mortes por Sars e 5.326 casos da doença desde o início da epidemia.