Homem que tentou seqüestrar avião da El Al tramava ataque igual ao de 11/9

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 18 de novembro de 2002 as 23:47, por: cdb

Tawfiq Fuqara, o homem que tentou seqüestrar na noite de domingo um avião da companhia israelense El Al, pretendia imitar os atentados de 11 de setembro de 2001. A informação foi divulgada nesta segunda-feira pela agência de notícias oficial turca Anatolian, citando autoridades policiais.

Fuqara, um árabe-israelense de 23 anos, foi dominado por seguranças israelenses a bordo do avião quando, armado com uma faca, tentou invadir a cabine do piloto, durante um vôo entre Tel Aviv e Istambul.

O avião seguiu viagem normalmente até a Turquia, sem que nenhum dos 170 passageiros ficasse ferido.

Segundo a Anatolian, Fuqara contou aos policiais turcos que o interrogaram que pretendia forçar o retorno do avião a Tel Aviv e arremessá-lo contra um edifício. O alvo não foi especificado.

“Ele tentou o seqüestro estritamente para fazer com que a voz do povo palestino fosse ouvida”, declarou um alto oficial da Polícia de Istambul, segundo a Anatolian.

“Ele disse que a ação que imaginava seria como os ataques de 11 de setembro contra os Estados Unidos”, acrescentou.

Pelo menos por enquanto, as autoridades turcas não vincularam Fuqara a qualquer grupo político ou militante conhecido. O rapaz permanece detido no aeroporto de Istambul.

Em Jerusalém, um porta-voz do primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon, anunciou que Fuaqara será entregue ao Shabac, o serviço geral de segurança israelense, após a conclusão dos interrogatórios na Turquia.

Ainda segundo o porta-voz, o governo israelense não havia sido informado sobre as intenções do seqüestrador.

A El Al é considerada a empresa área mais segura do mundo, com agentes permanentemente a bordo de seus aviões e medidas rígidas de controle, o que inicialmente levou comentaristas a sugerir que a tentativa de seqüestro fosse uma atitude isolada de alguém perturbado mentalmente, e não um atentado terrorista.

David Hermesh, ex-presidente da companhia, contou à CNN que a El al recebe ameaças diariamente.

“Infelizmente, não colocamos o sistema de segurança em prática por vontade própria, mas sim por causa de nossa situação, das ameaças que recebemos”, disse.

A El Al transporta cerca de três milhões de passageiros por ano e tem um registro invejável de segurança.

“Se você for um passageiro da El Al, provavelmente você será observado a partir do minuto em que sair do carro… e depois terá que passar por um agente de segurança antes de fazer o check-in”, comentou Issy Boim, presidente da organização Air Security International, que monitora a segurança em aeroportos do mundo inteiro.

Além disso, todos os pilotos da El al são veteranos da Força Aérea Israelense, treinados para manejar armas e suportar confrontos físicos. Entretanto, não transportam armas na cabine, que é dotada de portas à prova de balas.