Há 40 anos, o mundo era do Santos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 11 de outubro de 2002 as 17:26, por: cdb

Há exatos 40 anos, a imagem do futebol era uma só: o Santos de Pelé conquistava seu primeiro título mundial e o mundo curvava-se aos pés do Rei & Cia. O dia 11 de outubro de 1962 entrou para a história deste esporte com a vitória brasileira sobre o Benfica, em Lisboa, por 5 x 2.

Aquela partida é tida por alguns atletas da época como a maior apresentação do Santos em todos os tempos. O estádio da Luz, lotado com 73 mil torcedores foi o palco mágico da conquista.

Do início ao fim, o confronto foi tenso e bastante disputado. Principalmente devido à vitória santista no primeiro jogo, quando aplicou 3 x 2 nos portugueses dentro do Maracanã.

Na Europa, já se vendiam ingressos para a terceira partida (desempate), tamanha era a confiança dos atletas do Benfica.

Apesar de atuar fora de casa e sob uma atmosfera desfavorável, o time do Santos foi o protagonista de um baile de gala. Chegou a abrir uma vantagem de 5 x 0 no placar.

Pelé, três vezes, Coutinho e Pepe marcaram os gols brasileiros e fizeram a torcida lusitana aplaudir de pé o fato que se tornara inesquecível.

“Vivemos um sonho. Foi a melhor apresentação de Pelé que eu vi”, define Pepe, o Canhão da Vila.

“Este jogo é especial. Parece que joguei esta partida ontem. Tudo que aconteceu antes, durante e depois foi muito emocionante”, relembra Lima, que substituiu o contundido Mengálvio.

O Curinga chegou a fazer uma aposta com um funcionário do hotel onde a equipe ficou hospedada.

“Critiquei eles, dizendo que vender ingressos para um terceiro jogo que havia grande possibilidade de não acontecer era coisa de português. Se o Benfica ganhasse, daria dois pacotes de café para ele mas, se vencêssemos, ele teria que me dar duas garrafas de um legítimo vinho português.

“Ele veio me entregar o vinho com lágrimas nos olhos, então resolvi fazer uma troca e lhe dei o café, para ele não ficar tão triste”, contou.

Quarenta anos depois, Zito, o capitão santista, também se emociona ao relembrar o título.

“Eu estava com gripe e achei até que não ia poder jogar. Estava com falta de ar, mas não podia deixar de jogar naquela partida”, diz, para completar: “Foi maravilhoso, um dos melhores jogos que o Santos fez em toda sua história”.

O primeiro título mundial do Peixe foi coroado com uma campanha invicta. Em 11 partidas, foram oito vitórias, três empates e nada mais, nada menos, do que 38 gols marcados.