Guilherme marca três gols na goleada do Atlético-MG sobre o Caldense

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 26 de março de 2003 as 23:43, por: cdb

No dia em que a diretoria anunciou a contratação de Fábio Júnior para reforçar o Atlético-MG no Campeonato Brasileiro, o atacante Guilherme foi o destaque na goleada sobre a Caldense, por 4 x 0, nesta quarta-feira, no Mineirão. Apesar de bastante gripado e com febre, o artilheiro atleticano marcou três gols, todos de cabeça, que ajudaram a garantir a classificação alvinegra para as oitavas-de-final da Copa do Brasil.

O Atlético jogava pelo empate, por ter vencido o primeiro jogo por 1 x 0, na semana passada, em Poços de Caldas. Mas a postura extremamente defensiva da Veterana, que mesmo precisando vencer a partida de volta, armou-se na retranca, facilitou a tarefa atleticana. O técnico Leandro Campos, do time do interior, escalou a Caldense no 3-5-2 e deixou claro que fez uma opção por reforçar a marcação e explorar os contra-ataques.

A estratégia da Veterana não foi bem-sucedida e começou a desmoronar logo aos 12min, quando Guilherme marcou de cabeça o primeiro gol do Galo. O atacante aproveitou a cobrança de falta de Lúcio Flávio e abriu o placar. O jogo, que havia começado lento e fraco tecnicamente, não se alterou substancialmente com o gol atleticano.

Os dois times seguiram errando muitos passes (foram 16 erros do Galo, dois a mais que a Caldense), e trocaram as tabelas, pelas bolas altas, na chamada ligação direta. As faltas também ajudaram a deixar a partida monótona, nos primeiros 45 minutos. Os donos da casa cometeram 17 infrações contra 12 da Veterana.

Aos 27min, a Caldense perdeu o volante Cláudio, com dores musculares na parte posterior da coxa direita, e ganhou mais um atacante, com a entrada de Alex Rossi. A equipe visitante esboçou um crescimento ofensivo, mas foi o Galo que marcou o segundo, novamente feito por Guilherme, aos 30min.

Mais uma vez, o atacante fez de cabeça, assinalando o seu quarto gol na Copa do Brasil. A Caldense ainda tentou dar o troco, aos 31min, quando o lateral-direito Uéslei acertou o travessão atleticano. Mas o Galo administrou a vantagem parcial até o final do primeiro tempo

O artilheiro do Atlético deixou o gramado admitindo a possibilidade de não retornar para segunda etapa, por causa do desgaste provocado pela gripe. “Tive febre o dia inteiro e tive de tomar remédio para jogar”, afirmou Guilherme. O intervalo foi suficiente para recuperá-lo e ele acabou voltando a campo.

Com o placar adverso, a Caldense partiu para o ataque, o que contribuiu para tornar a partida mais aberta. Scheidt desperdiçou ótima chance para o Galo, aos 6min, em cabeçada fulminante, bem defendida pelo goleiro Marcelo. Dois minutos depois foi a vez de Toinzé, da Caldense, cobrar bem uma falta, obrigando o atleticano Velloso a uma difícil defesa. Aos 10min, o goleiro evitou novamente o gol adversário, em chute de Alex Rossi.

Se no primeiro tempo o Galo havia jogado para o gasto, na etapa final estava devendo, até que o atacante Alessandro fez um belo gol, aos 16min. Ele bateu da entrada da grande área, de curva, no ângulo do goleiro Marcelo, tranqüilizando a situação do Atlético.

Guilherme ainda marcou mais um, aos 25min do segundo tempo, mais uma vez de cabeça, escorando uma cobrança de escanteio. Foi o 18º do ano, em 15 jogos disputados com a camisa alvinegra nesta temporada. O gol do artilheiro do Campeonato Mineiro foi o 10º do time do técnico Celso Roth na Copa do Brasil, em quatro jogos disputados.

A defesa, sempre criticada, passou invicta pelas duas fases iniciais da competição nacional. O Galo agora vai esperar a definição do seu adversário. O time mineiro enfrentará o vencedor do confronto entre América-RN e Náutico. No jogo de ida, houve empate, em 1 x 1.

ATLÉTICO-MG 4 X 0 CALDENSE

Atlético-MG
Velloso; Cicinho (Alex), André Luiz, Scheidt e Marquinhos; Hélcio, Genalvo, Alexandre e Lúcio Flávio; Alessandro e Guilherme
Técnico: Celso Roth

Caldense
Marcelo; Mauro (Renato), Marcelo Uberaba e Ronaldinho; Uéslei, Cláudio (Alex Rossi), Cleiton, Nenê Miranda e Alys