Guerrilheiros das Farc e do ELN são mortos em ação militar na Colômbia

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 20 de outubro de 2003 as 04:11, por: cdb

Um total de 12 guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e do Exército de Libertação Nacional (ELN) foram mortos em operações militares realizadas nas últimas horas em diferentes regiões da Colômbia. Cinco paramilitares ainda não identificados também foram mortos.

A informação foi divulgada no último domingo  pelo Exército. Vintes rebeldes foram capturados nas operações militares. Em combates registrados nos municípios de Saravena e Fortul, no departamento de Arauca (nordeste, fronteira com a Venezuela), foram abatidos quatro membros das Farc, informou o comunicado do Exército.

Em uma operação militar em um município de Urrao, departamento de Antióquia (noroeste) também morreram quatro rebeldes do front 34 das Farc. Dois outros rebeldes, do fronte 53, também foram mortos em Paratebueno, no departamento de Cundinamarca (centro), onde fica Bogotá, acrescentou o informe militar.

Outro guerrilheiro do front 32 das Farc morreu em Puerto Guzmán, nas selvas do sul (fronteira com o Equador e o Peru). Um membro do ELN também foi abatido em Fundación, no departamento de Magdalena, no Caribe norte.

Cinco paramilitares da extrema-direita – inimigos das guerrilhas de esquerda – foram mortos no departamento de Santander (nordeste). As autoridades militares e da Polícia realizaram grandes operações em todo o país, como parte de um vasto plano de segurança para as eleições regionais, que serão realizadas no próximo final de semana, nos dias 25 e 26 de outubro.

Durante as operações, foram apreendidos fuzis AK-47, escopetas, pistolas, granadas, projétis de guerra e equipamentos de comunicação. Além disso, as tropas capturaram nove membros das Farc, oito das paramilitares Autodefesas Unidas de Colômbia (AUC) e três do ELN, em operações contra os grupos armados ilegais nas regiões de Antióquia, Santander, Arauca, Boyacá e Tolima.

Domingo, um total de 44 paramilitares se entregaram voluntariamente às Forças Armadas colombianas depois de uma ofensiva militar realizada nas proximidades de Bahía Solano, no departamento de Chocó (noroeste). O presidente da Colômbia, Alvaro Uribe, informou neste domingo que cerca de 2.500 combatentes se entregaram nos 14 meses do seu governo, dos quais 70% pertenciam às Farc e o restante à ELN e a grupos paramilitares.