Guerra no Sudão é limpeza étnica, denuncia ONU

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 2 de abril de 2004 as 22:33, por: cdb

A campanha de violência contra populações nativas em Darfur, oeste do Sudão, é uma “limpeza étnica”, denunciou o coordenador de ajuda de emergência da ONU, Jan Egelan. “As milícias saqueiam, queimam e, às vezes, bombardeiam as comunidades negras de origem africana, usando táticas de terra arrasada”, declarou à imprensa.

Egelan não confirmou o número de dez mil mortos nos enfrentamentos, antecipada por algumas fontes, mas considerada “muito elevada” pelo embaixador sudanês na ONU, Elfatih Mohammed Erwa.

Após consultas a portas fechadas, o Conselho de Segurança lançou um apelo ao Governo sudanês e aos grupos opositores para “um cessar-fogo humanitário” e um acordo político para solucionar o problema.

O conflito sudanês entre o sul, de maioria cristã e animista, e o norte árabe-muçulmano, existe desde 1983, e até agora já deixou cerca de 1,5 milhão de mortos e quatro milhões de refugiados.