Guerra na Libéria fecha último hospital em Monróvia

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 11 de junho de 2003 as 19:33, por: cdb

Pacientes e funcionários do último hospital público de Monróvia em funcionamento foram obrigados a fugir depois que o hospital foi alvo da guerra violenta que atinge a capital da Libéria, informou a organização MSF (Médicos Sem Fronteiras).

O Hospital Redemption, com capacidade para 130 leitos e apoiado pela MSF, estava lotado por pacientes vítimas de guerra

O Coordenador Geral da MSF na Libéria, Alain Kassa, tentou chegar ao hospital e descreve uma situação cada vez mais desesperadora no norte da cidade.

– Há corpos espalhados pelas principais ruas e você pode sentir o cheiro da morte em muitos lugares.

A equipe da MSF encontrou pacientes que conseguiram fugir em ambulâncias e outros que foram carregados por funcionários e parentes, um deles num carrinho de mão, informa a organização.

Perigo

Sem atendimento médico adequado aumenta o risco de epidemias de cólera e sarampo na Libéria. Em Monróvia, há corpos espalhados pelas ruas e cerca de 1 milhão de pessoas vagam pela cidade. A MSF iniciou nesta quarta-feira a distribuição de água potável a população deslocada.

Um ultimato dos rebeldes para que o presidente Charles Taylor renuncie, sob pena de enfrentar seguidos ataques, expira nesta quarta-feira.

Quatro dias depois que o ataque começou, as ruas da área dominada pelo governo estão tomadas por pessoas apavoradas a procura de abrigo, disse um correspondente.

O chefe da agência de refugiados da ONU, Ruud Lubers, pediu que o órgão envie uma força de paz para a Libéria.