Grammy premia o country em noite de reencontros

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 12 de fevereiro de 2007 as 16:27, por: cdb

Uma noite embalada pelo som country e pela homenagem ao eterno James Brown. A 49ª edição do Grammy, neste domingo, também trouxe grandes surpresas para o público este ano. Desde a reunião da banda The Police até a premiação do trio Dixie Chicks que foi o grande vencedor do ‘Oscar’ da música, ao conquistar os prêmios em todas as categorias que disputou, incluindo melhor gravação e melhor canção do ano , com Not Ready to Make Nice, além de melhor álbum, com Taking the Long Way.

A vitória nestas categorias foi completada pelos prêmios recebidos como melhor álbum de música country e melhor interpretação de um grupo neste estilo musical.

– Acho que hoje o povo usou de sua liberdade de expressão -, disse a emocionada vocalista Natalie Maines.

A vitória foi carregada de ironia, ao marcar o retorno do trio à música country. O Dixie Chicks gerou polêmica no mundo da música após dizer durante uma entrevista em Londres que sentiam de vergonha de ter nascido no mesmo estado que o presidente norte-americano George W. Bush, o Texas.

Após a declaração, o grupo feminino viveu sob pressão no mundo do country e acabou se afastando do estilo por ser boicotado em shows e programas de rádio.

O brasileiro Sérgio Mendes concorreu duas vezes na categoria melhor performance urbana/alternativa, mas não ganhou o prêmio. As músicas indicadas foram That Heat, em parceria com Erykah Badu e Will.i.am e também com a canção “Mas Que Nada”, com The Black Eyed Peas.

O vencedor da categoria foi Gnarls Barkley, com Crazy. Apesar de o Grammy deste ano ter destacado os jovens artistas, a cerimônia foi marcada pela volta de um dos maiores grupos de rock de todos os tempos.

O Police, formado por Sting, Stewart Copeland e Andy Summers, reuniu-se pela primeira vez para celebrar o aniversário de 30 anos do surgimento do clube.

Segue algumas das principais premiações:

Álbum do ano: Taking the Long Way, Dixie Chicks.

Gravação do ano: Not Ready to Make Nice, Dixie Chicks.

Canção do ano: Not Ready to Make Nice, Martie Maguire, Natalie Maines, Emily Robison and Dan Wilson (Dixie Chicks).

Revelação: Carrie Underwood.

Melhor Álbum Pop: Continuum, John Mayer.

Melhor Álbum Rock: Stadium Arcadium, Red Hot Chili Peppers.

Melhor Álbum R&B: The Breakthrough, Mary J. Blige.

Melhor Álbum Rap: Release Therapy, Ludacris.

Melhor Álbum Country: Taking the Long Way, Dixie Chicks.

Melhor Álbum Pop Latino: Adentro, Ricardo Arjona, e Limón y Sal, Julieta Venegas.

Melhor Álbum Jazz contemporâneo: The Hidden Land, Bela Fleck e os Flecktones.

Melhor Álbum Clássico: Mahler: Symphony No. 7, diretor Michael Tilson Thomas, com a Orquestra Sinfônica de San Francisco.