Governo sofre primeira derrota na comissão da reforma da Previdência

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 26 de junho de 2003 as 20:07, por: cdb

Deputados de partidos de oposição que integram a Comissão Especial da Reforma da Previdência conseguiram aprovar, na reunião desta quinta, a realização de audiências públicas para debater a reforma nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul e Bahia.

A aprovação (por 15 votos favoráveis, 14 contra e uma abstenção do deputado Roberto Brant, que preside a comissão) representa uma derrota ao governo já que a intenção dos membros da oposição é atrasar a tramitação da reforma com a realização das audiências.

A surpresa, no entanto, veio de dentro da própria base aliada. Deputados de partidos ligados ao governo votaram a favor do requerimento de Onyx Lorenzoni (PFL/RS) para pedir a realização das audiências.

Entre os governistas que votaram favoravelmente ao requerimento da oposição, estão Jandira Feghalli (PCdoB/RJ) e Carlos Mota (PL/MG). Quatro titulares do PMDB se ausentaram da seção, o que permitiu a vitória apertada.

Apesar da derrota, o líder do governo na Câmara, Aldo Rebelo (PCdoB/SP) avaliou que o cronograma da reforma da Previdência não será atrasado porque as audiências nos estados serão realizadas nas segundas e sextas-feiras.

O chefe da Casa Civil da Presidência da República, ministro José Dirceu, reuniu nesta quinta, as lideranças do governo no Congresso para pedir explicações sobre a derrota.