Governo e rebeldes assinam acordo de paz no Nepal

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 21 de novembro de 2006 as 18:20, por: cdb

O governo do Nepal assinou nesta terça-feira um acordo de paz com os rebeldes maoístas do país, colocando fim a dez anos de conflito civil. Estima-se que 13 mil pessoas tenham morrido no conflito, com o qual os rebeldes tentavam derrubar a monarquia nepalesa.

Centenas de políticos, diplomatas e jornalistas aplaudiram quando, durante uma cerimônia em Katmandu, o líder dos rebeldes, Prachanda, e o primeiro-ministro Girija Prasad Koirala assinaram o acordo que inclui os maoístas formalmente na vida política do Nepal.

O acordo prevê que os rebeldes tenham participação no Parlamento e em um governo de transição. Eles também se comprometeram a colocar suas armas e tropas, com as quais controlam porções significativas da área rural do Nepal, sob monitoramento da ONU.

Rebeldes e governo respeitam há seis meses um cessar-fogo, iniciado em abril, depois que os dois lados se uniram para organizar uma onda de protestos em massa com o objetivo de forçar o rei Gyanendra a restaurar o Parlamento. Os meses de negociações que antecederam o acordo se concentraram na forma de desarmar os rebeldes e como incluí-los no governo.

Pelos termos do acordo, os rebeldes deverão integrar o Parlamento a partir deste domingo, dia 26, e o novo governo de transição deverá estar em funcionamento no dia 1º de dezembro. O acordo deixa o rei em uma situação difícil, uma vez que os rebeldes dizem que continuarão a defender o fim da monarquia, que já dura 240 anos no Nepal, de forma pacífica até o regime ser extinto.

Alguns dos partidos representados no governo, no entanto, são a favor de um papel cerimonial para o rei, visto por muitos nepaleses como uma divindade hindu.

Esta é a terceira vez que governo e rebeldes assinam um acordo de paz no Nepal. Iniciativas anteriores, firmadas em 2001 e 2003, fracassaram.