Governo diz que queda de cabo foi causa do apagão

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 21 de janeiro de 2002 as 23:04, por: cdb

O ministro de Minas e Energia, José Jorge, informou que o apagão – que atingiu as regiões Sudeste, Centro-oeste e Sul – foi provocado pela queda de um cabo na linha de transmissão de 440 KV, entre Ilha Solteira e Araraquara. Jorge estava no meio de uma entrevista coletiva à imprensa quando recebeu um telefonema do presidente do Operador Nacional do Sistema Elétrico, Mário Santos, informando sobre a causa do blecaute.

O presidente da Aneel, José Mario Abdo, esclareceu que a linha de transmissão de energia que liga a usina de Ilha Solteira à subestação de Araraquara, onde foi detectado o defeito que provocou o apagão, pertence à Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista (CTEEP), cujo controlador é o governo do Estado de São Paulo, e não à Cesp como foi informado anteriormente. Abdo disse que pode ter ocorrido uma ruptura ou uma falha na cadeia de isoladores dos cabos, mas que a causa exata do blecaute somente poderá ser conhecida depois das investigações que serão feitas pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) e pela Aneel.

Segundo ele, as responsabilidades serão apuradas e as providências serão tomadas. De acordo com a legislação da Aneel, a punição máxima aplicada pela agência é multa de até 2% do faturamento da empresa. Abdo disse que o sistema elétrico tem de operar no sentido de isolar o defeito e reduzir ao máximo a área afetada. O que deve ser esclarecido, segundo Abdo, é por que o desligamento foi sequencial e atingiu outras partes do sistema, além da linha entre Ilha Solteira e Araraquara.

José Jorge admitiu que o sistema elétrico brasileiro é vulnerável, mas ponderou que o importante é saber se o nível de vulnerabilidade é aceitável. “Não dá para nós falarmos contra uma constatação”, disse Jorge ao ser questionado sobre a segurança do sistema. “Todo sistema que se quebra é vulnerável, precisamos saber se é mais ou menos vulnerável que os outros. E se o nível de vulnerabilidade é aceitável”, afirmou. Jorge disse que somente será possível constatar esses dados de aceitabilidade quando ficarem esclarecidas as causas que permitiram que a queda do cabo na linha de transmissão entre a usina de Ilha Solteira e a subestação de Araraquara provocasse a queda do sistema em várias regiões.