Governo da Síria aceita cessar-fogo, adoção de corredor humanitário e abertura para o diálogo, diz ONU

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 27 de março de 2012 as 07:44, por: cdb

Renata Giraldi*
Repórter da Agência Brasil

 

Brasília – O porta-voz do enviado especial das Nações Unidas e da Liga Árabe à Síria, Ahmad Fawzi, disse hoje (27) que o presidente sírio, Bashar Al Assad, aceitou o plano que determina um cessar-fogo na região e a adoção de um corredor humanitário para ajuda às vítimas. De acordo Fawzi, Assad também admitiu a possibilidade de iniciar o diálogo para encerrar o impasse na área.

No começo deste mês, o enviado especial da Organização das Nações Unidas (ONU) e da Liga Árabe à Síria, Kofi Annan, propôs o fim dos combates, a autorização para a ajuda humanitária e início de um processo político. Na ocasião, Assad disse ser impossível dialogar com a oposição a quem chama de terroristas.

Ahmad Fawzi disse que o governo sírio respondeu hoje por escrito e concordou com os seis pontos, aprovados pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas. Segundo ele, Annan elogiou a iniciativa e prevê avanços nas negociações. O enviado foi à Rússia pedir apoio nas conversas com a Síria e hoje está na China.  

“Annan vê isso como um primeiro passo importante que pode acabar com a violência e o derramamento de sangue, proporcionando alívio para o sofrimento e criando um ambiente propício para o diálogo político, atendendo às legítimas aspirações do povo sírio”, disse o porta-voz.

A onda de violência na Síria completou neste mês um ano. A estimativa é que mais de 8 mil pessoas morreram nos últimos 12 meses. Há relatos de torturas, prisões indevidas, agressões contra crianças e mulheres, além dos assassinatos. O governo nega a participação nos crimes.    

 

*Com informações da agência pública de notícias do México, Notimex   //   Edição: Lílian Beraldo