Governo argentino nega passividade diante de ‘piqueteiros’

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 21 de junho de 2004 as 16:28, por: cdb

Alberto Fernández, chefe do gabinete de ministros da Argentina, rejeitou críticas que afirmam uma passividade diante das manifestações dos setores mais intransigentes de desempregados, e disse que o governo preserva a segurança coletiva por não as reprimir.

– Pensar em uma reação como alguns propõem, como a repressão aos piqueteiros, seria um risco muito grande – destacou Fernández, referindo-se ao fato de muitos desempregados levarem mulheres e filhos para as manifestações.

Nos últimos dias, vários funcionários do governo de Néstor Kirchner questionaram o método de alguns setores dos piqueteiros, que ocuparam nove lojas da rede de fast-food Mcdonald’s e o hall do hotel Sheraton, e inclusive atacaram a sede da petroleira espanhola Repsol YPF.

Os piqueteiros, que fecham ruas e estradas para pedir trabalho e comida, ganharam nos últimos anos grande destque na crise que afeta o país, no qual a metade da população é pobre e que registra um desemprego de 14,4%.