Governo adota lei do silêncio na questão do reajuste na telefonia

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 28 de junho de 2003 as 19:18, por: cdb

O governo colocou hoje em prática uma operação para abafar a crise em torno do reajuste das tarifas de telefonia e poupar o ministro das Comunicações, Miro Teixeira, de um desgaste ainda maior.

“Perguntem para o Miro, ele é o ministro das Comunicações”, disse o ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, quando questionado sobre o assunto.

O ministro da Fazenda, Antônio Palocci, pretendia ir ao Encontro Nacional de Vereadores e Deputados Estaduais do PT e dar uma declaração à imprensa elogiando Miro. Só não o fez porque ficou em casa, acamado, com gripe.

– A orientação do presidente é de ficar de boca fechada e ouvido aberto – disse Dirceu.

O secretário-geral da Presidência, Luiz Dulci, esquivou-se de comentar o assunto. O mesmo fez o presidente nacional do PT, José Genoíno.

– Como eu vou falar de um assunto que não é de minha competência? Sobre essa questão da Anatel, o governo vai se pronunciar – disse Genoino.

Até mesmo o presidente Luiz Inácio Lula da Silva evitou falar sobre o assunto. Desde a última sexta-feira, quando saiu de Brasília para uma viagem à Colômbia e à Parintins (AM), ele não comentou o tema do reajuste tarifário da telefonia, apesar de ter sido insistentemente questionado.

As áreas técnica e jurídica do governo reuniram-se neste sábado para discutir o assunto. O Ministério das Comunicações informou que não tomará nenhuma ação isolada no caso. Segundo a assessoria, qualquer iniciativa que venha a ser adotada será coordenada com outras áreas de governo.

O reajuste tarifário que gerou toda a polêmica já foi homologado pela Anatel e entrará em vigor a partir deste domingo.