Glasgow reinventa conceito de cidade no Reino Unido

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 2 de março de 2012 as 11:38, por: cdb

Planejamento Urbano em Curitiba: Histórico e Perspectivas foi o tema da palestra que abriu os trabalhos do último dia do 2º Encontro Internacional de Curitiba em Planejamento Urbano, nesta sexta-feira (2), no Parque Barigui.

O presidente do Ippuc, Cléver Ubiratan de Almeida, pontuou a evolução do processo de planejamento urbano da cidade de Curitiba nos últimos anos, dando ênfase a diversas áreas. A cidade tem 2.566 equipamentos públicos municipais, 120 km de ciclovias e ciclofaixas, 113 milhões de metros quadrados de área verde – cerca de 64m² por habitante – e 90% da frota do transporte coletivo já está adequada à acessibilidade.

“Os resultados alcançados não são obtidos por acaso. É um trabalho bastante intenso realizado pela Prefeitura de Curitiba”, destacou Almeida. “A melhoria da qualidade de vida e a satisfação das pessoas é o nosso principal objetivo”, adiantou.

 “Curitiba é bastante conhecida na área de planejamento urbano. E as experiências e informações repassadas pelo presidente do Ippuc foram excelentes. São assuntos que nos interessam”, afirmou o Chefe da Divisão de Informação e Uso do Solo, da Secretaria de Planejamento de Goiânia, Alberto Bailoni.
 
Economia – “A recuperação de uma cidade leva no mínimo dez anos”, pontuou o economista Stuart Gulliver, professor da Universidade de Glasgow, na Escócia, durante a palestra “Reinventando Cidades”, a segunda do dia.

O palestrante, que por 10 anos foi chefe da Agência de Desenvolvimento de Glasgow e ajudou a coordenar o processo de transformação econômica na Escócia, ressaltou a importância do planejamento econômico e uma equipe experiente para que uma cidade seja bem sucedida.

“A cidade de Glasgow, por exemplo, passou por uma grande reviravolta em sua economia, e hoje é considerada a cidade mais bem sucedida do Reino Unido”, disse Gulliver. Ele enfatizou que na década de 1960, 40% da população escocesa trabalhava com manufatura, e que hoje este índice caiu para apenas 10%, dando lugar à geração de emprego e renda com serviços e tecnologia.

Para Francisco Dornelles, secretário de Planejamento de Porto Alegre, e que participa do fórum, os temas apresentados são pertinentes e estão sendo de grande valia. “Vou levar daqui muito conhecimento e experiências bem sucedidas tanto de Curitiba como do mundo”, disse. “Nem tudo depende apenas do dinheiro, mas também de uma equipe de profissionais comprometidos e experientes. Essa lição será bastante útil”, afirmou.

Programação
– O fórum continua no Salão de Atos do Parque Barigui até o final da tarde desta sexta-feira (2). Cerca de 500 participantes de 16 estados brasileiros, além de outros 15 países, participam do evento. O 2º Encontro Internacional de Curitiba em Planejamento Urbano é promovido pela Prefeitura de Curitiba com o patrocínio do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).