Genoino diz que radicais devem fazer oposição em outro partido

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 14 de junho de 2003 as 14:10, por: cdb

O presidente nacional do PT, José Genoino, fez neste sábado duras críticas à chamada ala radical do partido e disse que “eles são livres para fazer oposição em outro partido”.

Diante de uma platéia de estudantes da Universidade São Judas Tadeu, na zona leste de São Paulo, Genoino citou manifestações contrárias às políticas do governo de Luiz Inácio Lula da Silva, especialmente à reforma previdenciária, feitas pela senadora Heloísa Helena (AL) e pelos deputados federais João Fontes (SE), Luciana Genro (RS) e Babá (PA).

Segundo ele, as atitudes da senadora e dos deputados são características de “adversários” e demonstram “individualismo”.

– Durante a campanha eleitoral, todo mundo fica no paz e amor, porque (o partido) carrega muitos votos. Mas depois da campanha somos inimigos, isso não está certo – disse ele.

Segundo Genoino, os radicais só querem o “bônus” de se integrar às fileiras da legenda.

– Durante a eleição, a figura do PT é boa, o 13 é bom, a estrela é boa, mas depois (os radicais) não querem mais saber.

Ele afirmou que todos os congressistas são livres para debater, mas são obrigados a votarem com a bancada.

No dia 28 de junho, o Conselho de Ética do PT se reunirá para analisar o processo de expulsão de Heloísa Helena e dos deputados Babá e Luciana Genro.

PDT

O presidente do PT afirmou ainda que as críticas feitas pelo PDT ao governo Lula e a iminente troca de legenda do ministro das Comunicações, Miro Teixeira, para o PMDB não afetam o governo ou a base aliada no Congresso.

– Não temos contrariedades, não temos estresse nem desequilibra a base do governo. Foi uma escolha que o PDT fez. Cada partido é maduro para escolher seu caminho e nós sempre tivemos uma relação atritada com o PDT do Brizola.

Genoino falou neste sábado durante palestra sobre marketing político, na Universidade São Judas Tadeu (zona leste de São Paulo).