General norte-americano critica Lula e Kirchner

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 30 de março de 2004 as 10:51, por: cdb

O general James Hill, do Comando Sul dos Estados Unidos e chefe das tropas no Haiti, comparou os “sentimentos anti-americanos” que despertam na América Latina com a ameaça do terrorismo e do narcotráfico. De acordo com uma matéria publicada nesta terça-feira no jornal argentino La Prensa, Hill classificou o fenômeno de “populismo radical”, além de criticar as posições atuais de Brasil e Argentina. Para ele, o Departamento de Defesa dos EUA precisa monitorar o crescimento dessa tendência em todo o continente.

– O populismo em si não é uma ameaça, mas se transforma em uma quando é radicalizada por um líder que, de maneira crescente, utiliza a sua posição e o apoio de um segmento da população para transgredir de forma gradual os direitos de todos os cidadãos. A crise econômica argentina abriu espaço para que muitos questionem a validade de reformas neoliberais, o Consenso de Buenos Aires (assinado por ambos em outubro) é uma manifestação disto – criticou o general, após questionar os recentes acordos firmados pelos presidentes do Brasil e da Argentina..

Para o militar da linha dura norte-americana, “alguns líderes da região exploram as frustrações profundas pelo fracasso das reformas democráticas em conjunto com a frustração pela desigualdade social e econômica alimentando o sentimento anti-americano”, disse, citando, como exemplo o Haiti, a Venezuela e a Bolívia.