General defende escuta legal de telefones

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 5 de junho de 2003 as 09:03, por: cdb

O ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, general Jorge Armando Félix, defendeu nesta quarta-feira, na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional da Câmara, que a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) disponha de escuta telefônica com autorização legal como instrumento para realizar seus trabalhos de coleta de dados para municiar o governo federal.

“Queremos abrir essa discussão com a sociedade, e, com a resposta obtida com essa discussão, teremos maior respaldo para propor mudanças na legislação”, disse o general, ao explicar que esta permissão de escuta só seria possível com a aprovação, pelo Congresso, de uma emenda constitucional.

“Inteligência é fundamental, é indispensável para qualquer país e às vezes fica difícil executar as atividades de inteligência”, desabafou o ministro, que disse já ter levado ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva as dificuldades que a Abin enfrenta para desenvolvimento do seu trabalho de obtenção de informações para o governo.