Gás natural responde por 9,4% da matriz energética do país, diz estudo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 1 de março de 2007 as 21:02, por: cdb

Um estudo realizado pela Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás) mostra que o gás natural já responde por 9,4% da matriz energética brasileira – tendo triplicado em relação a meados dos anos 90, quando esta participação era de apenas 3,1%.

Segundo a Abegás, a indústria brasileira de gás natural vem crescendo ano a ano e hoje já existem no país mais de 1,2 milhão de consumidores do produto nos diversos segmentos que utilizam essa fonte de energia. Somente entre 2003 e 2006, o crescimento acumulado do número de consumidores chegou a 20%.

Os dados da associação também mostram que de janeiro a dezembro de 2006 o número de consumidores de gás natural cresceu significativa nas regiões Nordeste e Centro-Oeste, respectivamente, 54% e 57%. Na região Sudeste o crescimento foi de apenas 3%. A Região Sul, onde o crescimento chegou a 312,5%, na mesma base de comparação.

De acordo com os técnicos da Abegás, há projetos de interiorização do gás natural em todo o país e um bom exemplo é o trabalho desenvolvido pelas distribuidoras do Nordeste, que ampliaram a rede de distribuição (gasodutos) da região em 65% de 2003 até dezembro de 2006, com um total de 1.867 quilômetros.

A Região Sudeste possui três distribuidoras no Estado de São Paulo, com uma rede de distribuição de 10.818 quilômetros e crescimento acumulado de 55% desde 2003. A região Centro-Oeste surpreende pelo percentual de crescimento, com 100,3%, considerando-se que as companhias que atuam na região estão operando há apenas três anos. A Região Sul apresenta crescimento estável da rede distribuição, em torno de 5% nos últimos dois anos, com 1.559 quilômetros de gasodutos.

Para os próximos três anos, a Abegás estima que as empresas distribuidoras de gás natural planejem construir juntas aproximadamente 5 mil quilômetros de rede distribuição, 68,4% dos quais no Sudeste, 16,9% no Nordeste, 4,9% no Centro-Oeste e 9,8% no Sul, diz a nota.

De acordo com a Abegás, apesar das vendas de gás natural terem sofrido “interferências externas” ao longo de 2006, o volume do produto comercializado no Brasil continuou aumentando na comparação com anos anteriores.

A nota informa que o volume acumulado de vendas de gás natural em todo o país foi de 15,2 bilhões de metros cúbicos. Deste total, 66,68% foram consumidos no Sudeste (10,1 bilhões de metros cúbicos) e 16,41% no Nordeste (2,5 bilhões de metros cúbicos).

As regiões Centro-Oeste e Sul consumiram juntas 2,7 bilhões de metros cúbicos, aproximadamente 16,9% do total. Os dados indicam, ainda, que a média diária de consumo foi de 41,7 milhões de metros cúbicos.