Garotinho defende Estatuto do Desarmamento mais rigoroso

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 14 de setembro de 2003 as 14:57, por: cdb

O secretário de estado de Segurança Pública, Anthony Garotinho, que participou da caminhada “Brasil sem armas”, na orla da Praia de Copacabana. Mesmo sob chuva milhares de pessoas participam do evento, que segundo os organizadores reúne 30 mil pessoas. Garotinho fez críticas ao Estatuto do Desarmamento, que em sua opinião, está abaixo das expectativas da população e tem que ser mais rigoroso.

“O governo não deve deixar o plebiscito para 2005. É uma afronta à inteligência das pessoas, que querem que a violência acabe agora”, disse o secretário, lembrando que desde 1999, o governo do estado trabalha em prol do desarmamento. Nesta época Garotinho conseguiu colher mais de um milhão de assinaturas de apoio ao desarmamento. O documento foi entregue à ONU que lhe conferiu o certificado de “Amigo da Paz”.

A caminhada pela aprovação do Estatuto do Desarmamento conta ainda com as presenças do vice-governador e secretário de estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento, Luiz Paulo Conde, do secretário de Direitos Humanos, João Luiz Pinaud, do secretário de Trabalho e Renda, Marco Antônio Lucidi, do secretário de Justiça e Direitos do Cidadão, Sérgio Zveiter, do subsecretário de Segurança, Marcelo Itagiba, do chefe da Polícia Civil, Álvaro Lins e do secretário de Ação Social, Fernando William.

Representando o governo federal também participam esteve presente o Ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, que acaba de deixar a caminhada e o presidente da Câmara dos Deputados, João Paulo Cunha.

O vice-governador, Luiz Paulo Conde defendeu uma lei mais rigorosa para restringir o porte de armas. “No Rio de Janeiro, a governadora Rosinha Garotinho aumentou em 200% o ICMS na venda de armas e assim restringir ao máximo”, comentou. Conde disse que em todos os países em que a venda de armas foi proibida ou bastante limitada, a violência foi reduzida.