Garotada do Brasil vence nigerianos por 3 a 0

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 11 de junho de 2003 as 16:59, por: cdb

Com gols dos estreantes Gil, Luís Fabiano e do “experiente” Adriano, o Brasil derrotou nesta quarta-feira a Nigéria, por 3 x 0, no Estádio Nacional de Abuja. Foi a primeira vitória da Seleção desde que Carlos Alberto Parreira reassumiu o comando da equipe pentacampeã mundial.

Até então, em três jogos, o treinador contabilizava dois empates (China e México, ambos por 0 x 0) e uma derrota (Portugal – 2 x 1).

O Brasil jamais perdeu para uma seleção africana na categoria principal. Disputou 17 partidas e venceu todas. Outro recorde: o time canarinho jogou dez vezes no continente e ganhou todos os confrontos.

O amistoso serviu de preparação para a Copa das Confederações, que será disputada na França entre os dias 18 a 29 de junho. O Brasil estréia contra a Colômbia, na próxima quinta-feira (19).

Parreira não pôde contar com todos os convocados. O goleiro Júlio César (Flamengo), Edu Dracena, Maurinho e Alex (Cruzeiro) ainda não se apresentaram. Os atletas disputarão nesta quarta-feira, no Mineirão, a final da Copa do Brasil.

Jogadores que participaram da Copa de 2002, como Roberto Carlos, Gilberto Silva Rivaldo e Ronaldo não disputarão a competição. O técnico decidiu poupar os principais jogadores da Seleção. Fábio Aurélio (Valencia), Roque Júnior e Zé Roberto, contundidos, foram cortados.

A Nigéria, que sonha sediar a Copa de 2010, classificou o confronto como “o jogo do ano”. E a seleção africana, toda vestida de verde, começou a partida partindo para cima dos pentacampeões.

Embora afobado, o time nigeriano conseguia encurralar os visitantes. Kanu, algoz do Brasil nas Olimpíadas de 1996, e Okocha, criavam as melhores oportunidades. O primeiro, aos 20min, assustou em um chute da entrada da área. O meia-atacante, dois minutos depois, por pouco não abriu o placar em cobrança de falta.

A equipe de Carlos Alberto Parreira, como de costume, tocava excessivamente a bola. A movimentação melhorou somente após os 25min.

O estádio Nacional, apesar de toda divulgação, não estava lotado. Mesmo assim, os torcedores fizeram barulho quando Okocha, aos 32min, arriscou de longe e Dida defendeu.

A ala esquerda dos sonhos, formada pelos corintianos Kléber, Gil e o são-paulino Ricardinho apresentava até então um rendimento discreto. Porém o trio, que conquistou dois títulos pelo Timão (Copa do Brasil e Torneio Rio-São Paulo), voltou a encantar Parreira aos 34min.

O meia recebeu de Kléber e serviu Gil, que chutou na saída do goleiro Enyama. 1 a 0. O camisa 11, que vestiu pela primeira vez a camisa da seleção, vibrou muito.

Outro estreante, na seqüência, também deixou a sua marca. Belleti cruzou da direita e Luís Fabiano, do São Paulo, cabeceou com precisão aos 37min. Festa no banco brasileiro. “Apesar da falta de entrosamento, estamos tocando bem a bola”, comentou o artilheiro no final do primeiro tempo.

A Seleção Brasileira manteve o mesmo ritmo na etapa complementar. Logo aos 7min, Émerson recebeu de Juan (que ajeitou de cabeça) e chutou com violência, à direita do gol.

Aos 10min, o lance mais bonito da partida. Ronaldinho Gaúcho dominou a bola, aplicou um drible desconcertante no zagueiro e tocou por cobertura. Orjinta salvou o gol em cima da linha.

Aos 35min, Adriano (do Parma), que entrou no lugar de Gil, aproveitou cruzamento de Kléber e fechou o placar.

NIGÉRIA 0 x 3 BRASIL

Nigéria
Enyama; Enkhjire, Ekong, Orjinta e Udeze; Okoronkwo, Lawal e Okocha; Kanu (Nwuguru), Utaka e Yakubu (Obodo)
Técnico: Christian Chukwu

Brasil
Dida, Belletti (Eduardo Costa), Juan (Fábil Luciano), Lúcio e Kleber (Gilberto); Emerson, Kléberson e Ricardinho; Gil (Carlos Adriano), Luís Fabiano (Adriano) e Ronaldinho
Técnico: Carlos Alberto Parreira

Data: 11/6/2003 (quarta-feira)
Local: Abuja National Stadium, em Abuja (Nigéria)
Horário: 14h45
Juiz: Alex Quartey (GAN)
Cartões amarelos: Ekong (N)
Gols: Gil, aos 34min. Luís Fabiano, aos 37min do primeiro tempo; Adriano, aos 35min do segundo tempo.