G8 impõe condições para ajudar países pobres na área de saneamento

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 2 de junho de 2003 as 17:00, por: cdb

Os membros do G8 (que reúne os sete países mais ricos do mundo e a Rússia) impuseram nesta segunda-feira, num programa de ação adotado na reunião de cúpula de Evian (leste da França), condições drásticas aos países pobres que solicitarem sua ajuda para um melhor acesso a água potável e saneamento.

– Estamos determinados a ajudar prioritariamente os países que demonstrarem seu compromisso político a favor da água e do saneamento básico – afirma o documento aprovado pelos oito chefes de Estado e de governo, que ficarão reunidos até a próxima terça-feira em Evian.

– Na atribuição de nossa ajuda pública ao desenvolvimento, nos comprometemos a dedicar uma elevada prioridade às propostas de qualidade dos países em desenvolvimento que sejam sócios na área da água e do saneamento – destaca o texto.

– Isto pode desempenhar um papel catalisador na mobilização de outros fluxos financeiros – acrescenta.

O G8 considera como “sócios” os países que respeitam os critérios fixados pelos países ricos e que priorizam a água em sua política pública.

O documento também pede à comunidade internacional a “duplicação de seus esforços” para que se alcancem as metas da ONU (Organização das Nações Unidas) de reduzir à metade até 2015 o número de seres humanos que não tem acesso a água potável, atualmente de 1,2 bilhão de pessoas, e o dos que não utilizam um sistema de saneamento básico (2,4 bilhões).