Funcionários do BNDES suspendem greve até a próxima semana

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 23 de outubro de 2006 as 16:01, por: cdb

Os funcionários do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) retornaram ao trabalho no início da tarde desta segunda-feira, após uma greve iniciada na última quinta-feira. Até a próxima sexta-feira, a categoria deve marcar nova assembléia para definir se a paralisação terá continuidade.

O presidente da Associação de Funcionários do BNDES, Antonio Saraiva, disse que o movimento foi suspenso porque as negociações serão retomadas com a direção da instituição. De acordo com Saraiva, a principal reivindicação é o quadro único de pessoal. Segundo ele, a direção do BNDES não apresentou nenhuma proposta sobre o tema.

– Ainda não. Vão ser abertas as negociações, e a gente, na semana que vem, reavalia (a paralisação) -, disse Saraiva.

O banco tem dois quadros de servidores – um de funcionários de carreira, mais antigos e com salários superiores, e outro de empregados concursados a partir de 1998. O presidente da associação informou que as reivindicações de natureza econômica ficaram em segundo plano.

– A nossa questão é relativa à existência de dois quadros. O que a gente quer é a unificação dos quadros. Essa é que é a questão central -, afirmou.

Os empregados do BNDES reivindicam reajuste de 20%, incluindo a reposição das perdas desde o Plano Real, e uma e meia remuneração a título de abono. A direção do banco ofereceu, inicialmente, reajuste salarial de 3,84% e meia remuneração de abono.

Na última sexta-feira, a proposta foi elevada para 4,5% de aumento e 80% da remuneração como abono. A greve teve adesão da totalidade dos 1.900 funcionários do BNDES no Rio de Janeiro. Contando com os empregados das representações da instituição em Brasília, São Paulo e Recife, o número de servidores chega a 2.000.