Funcionários do BB de São Paulo suspendem greve

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 16 de outubro de 2003 as 19:42, por: cdb

Cerca de 2.100 funcionários do Banco do Brasil aprovaram na noite desta quinta-feira a proposta de reajuste salarial da instituição e decidiram também suspender a greve a partir desta sexta-feira.

Segundo o Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, cerca de dois terços dos bancários presentes na assembléia decidiram pela suspensão da paralisação, iniciada na última terça-feira.

Já os funcionários da Caixa Econômica Federal, que paralisaram as atividades em 84 agências da região metropolitana nesta quinta-feira, segundo o sindicato, decidiram em assembléia pela continuidade da greve, uma vez que a instituição não apresentou proposta.

De acordo com a assessoria de imprensa do sindicato, em assembléias realizadas em cidades do interior do estado, como Campinas, Rio Claro e São Carlos, os bancários do Banco do Brasil também decidiram aceitar a proposta de reajuse. Eles voltam ao trabalho a partir desta sexta-feira.

O sindicado de São Paulo informou que os funcionários de outras capitais, como Porto Alegre, Curitiba, Teresina, também votaram pela suspensão da greve. O mesmo ocorreu nos estados do Pará, Ceará e nos municípios de Novo Hamburgo (Rio Grande do Sul) e Apucarana (Paraná).

Pela nova proposta, os funcionários do BB devem receber reajuste de 12,6% sobre todas as verbas salariais, inclusive o VR (valor de referência) para comissionados, excetuando somente a verba Diferencial de Mercado, paga a menos de mil bancários do BB; o auxílio refeição sobe para R$ 11,67; o auxílio creche, para R$ 143,75; também haverá indenização por morte e invalidez decorrente de assalto.

O banco garantirá ainda um abono de R$ 1.500,00 e a PLR, relativa ao primeiro semestre de 2003.