Fujimori é preso ao desembarcar na capital chilena

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 7 de novembro de 2005 as 09:59, por: cdb

Ex-presidente peruano, Alberto Fujimori foi preso pela polícia chilena na madrugada desta segunda-feira em Santiago, sem fazer qualquer resistência. Ele foi levado pelos policiais do hotel Marriot, onde estava hospedado, até o departamento policial. Segundo o jornal El Comercio, uma comitiva já se prepara para deixar o Peru a fim de negociar com autoridades chilenas a deportação do antigo chefe de Estado.

Fujimori, que exerceu o mandato entre 1990 e 2000, de 67 anos, hospedou-se no hotel na noite deste domingo, após ter realizado um vôo do Japão até a capital do Chile à bordo de seu avião privativo. A ordem de prisão contra Fujimori foi decretada pelo juiz chileno Orlando Alvarez, designado pela Suprema Corte de Justiça para estudar sua extradição.

Após chegar ao Chile, Fujimori emitiu um comunicado dizendo que deixara o Japão, onde vivia há cinco anos, e voltara à América do Sul e como parte do processo de retorno ao Peru a fim de participar das eleições presidenciais de 2006. De acordo com o El Comercio, o procurador peruano Antonio Maldonado viaja ainda nesta segunda-feira para o Chile, liderando uma delegação de autoridades do Peru que vão tratar da extradição de Fujimori. A viagem do ex-presidente aconteceu no momento em que o governo peruano já se preparava para pedir à Corte Internacional de Haia sua extradição do Japão.

Extradição

O Peru pediu formalmente ao Japão a extradição do ex-governante, como autor intelectual de assassinatos ocorridos durante sua administração e pelo pagamento de US$ 15 milhões a seu ex-assessor de inteligência Vladimiro Montesinos. A chegada de Fujimori surpreendeu o governo do presidente chileno Ricardo Lagos, em conflito com o governo peruano de Alejandro Toledo por causa da vigência de uma lei peruana que desde sábado estabeleceu as “linhas de base” do domínio marítimo do Peru.

Essa lei, segundo a visão chilena, modificaria a fronteira marítima entre ambos os países ao deslocar para o sul o limite do Peru, que incorporaria 35 mil km¦ de águas territoriais atualmente sob a soberania do Chile.

O porta-voz do governo chileno, Osvaldo Puccio, confirmou que a Embaixada do Peru em Santiago entregara às autoridades do país uma nota pedindo a extradição de Fujimori o mais rápido possível.

– Agora os tribunais chilenos é que têm que decidir a situação de Fujimori – afirmou Puccio.

Embaixador peruano no Chile, José Antonio Meier chegou à sede do governo chileno, o Palácio de La Moneda, no início da madrugada desta segunda-feira para entregar pessoalmente uma nota oficial solicitando a detenção preventiva de Fujimori.

– Fiz a entrega, seguindo instruções de meu governo, de uma nota oficial e formal ao governo do Chile solicitando a detenção preventiva, com fins de extradição, do cidadão foragido da Justiça peruana Alberto Fujimori – afirmou o diplomata.

O tratado em vigor entre os dois países estabelece que a nação que pede a extradição tem um prazo de dois meses para apresentar os antecedentes.