Frente Pró-Antártica quer recursos para recuperar estação de pesquisa

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012 as 17:04, por: cdb

Incêndio ocorrido na madrugada do último sábado destruiu 70% das instalações da estação Comandante Ferraz, na Antártica, e deixou dois militares mortos.

Arquivo/ Leonardo PradoJô Moraes espera garantir mais R$ 20 milhões para recuperar a base de pesquisa.

 A Frente Parlamentar Pró-Antártica fará uma reunião na próxima semana para avaliar os prejuízos causados pelo incêndio que atingiu a estação brasileira Comandante Ferraz, destinada a pesquisa no continente antártico. Dois militares foram mortos e praticamente todas as instalações da base foram destruídas no acidente.

A deputada Jô Moraes (PCdoB-MG), que é vice-presidente da frente, quer mobilizar os deputados com o objetivo de levantar recursos para retirar os escombros. “Isso significa garantir equipamentos, navios. Temos que fazer de imediato o levantamento de recursos necessários para o planejamento da reconstrução e uma campanha juntamente ao governo para se chegar ao montante de R$ 20 milhões em 2012 e acelerar a recuperação e reconstrução da base da Antártica”, disse.

Segundo a deputada, R$ 9 milhões foram destinados para o Programa Antártico Brasileiro no orçamento deste ano. Uma emenda de cerca de R$ 20 milhões, no entanto, ficou de fora do relatório final.

Dados armazenados
O diretor do Centro Polar e Climático da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Jefferson Simões, que já esteve 19 vezes na Antártica, sendo cinco na Estação Comandante Ferraz, afirmou que o prejuízo só não foi maior porque os dados coletados ao longo dos 28 anos de funcionamento da base de pesquisa estão armazenados em outros locais.

“O Programa Antártico Brasileiro está em pleno funcionamento neste momento – 60% das pesquisas antárticas brasileiras estão em andamento, inclusive com trabalhos de campo, com coleta de dados numa estação remota a mais de 2,5 mil km ao sul da estação Comandante Ferraz. Estação que foi inaugurada neste verão com recursos da Frente Parlamentar em prol do Programa Antártico. Estamos feridos, mas não estamos mortos”, relatou.

O deputado Dimas Ramalho (PPS-SP) apresentou requerimento na Comissão de Relações Exteriores da Câmara pedindo a convocação dos ministros da Defesa e da Ciência e Tecnologia para prestarem informações, em audiência pública, sobre o incêndio na estação brasileira na Antártica e sobre os investimentos no Programa Antártico Brasileiro.

Nota de solidariedade
Nesta segunda-feira, o presidente da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional, deputado Carlos Alberto Leréia (PSDB-GO), divulgou nota oficial em nome do colegiado para se solidarizar com a morte dos pesquisadores na estação Comandante Ferraz, na Antártica. Leréia informou que, em junho de 2006, acompanhou, em missão oficial, o Programa Antártico Brasileiro.

Na nota da Comissão de Relações Exteriores, Leréia agradece ao apoio prestado pelo Chile, no socorro e resgate dos brasileiros atingidos pelo incêndio, e a solidariedade dos governos da Argentina e da Polônia. “Reiteramos nosso apoio aos esforços para reerguer essa base, onde 70 % das instalações foram destruídas, e incentivar esse projeto ímpar para a nação brasileira”, disse o parlamentar.