Fraude na Receita Federal pode estar ligada com o INSS

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 3 de outubro de 2003 as 04:38, por: cdb

A fraude na Receita Federal pode estar ligada a desvios de verba no INSS. Para burlar o fisco, os criminosos estariam usando um esquema semelhante ao utilizado, na década de 90, para enganar a Previdência.

O corregedor da Receita, Moacir Leão, anunciou ontem que vai convocar o argentino César de la Cruz Mendonza Arrieta, considerado o chefe da quadrilha que fraudou o INSS em R$ 3 bilhões na década de 90, para depor no inquérito administrativo que investiga as fraudes.

Há indícios de que quatro empresas suspeitas de obterem ilegalmente certidões negativas de débitos no Rio Grande do Sul em 2002, por intermédio do escritório da mulher de Arrieta, também se beneficiaram com as fraudes no Rio.

A Polícia Federal acredita que Alberto da Silva Correa Neto e Ana Cláudia Amaral de Andrade, presos pelas fraudes no Rio, pertenceriam a uma ramificação do esquema montado por Arrieta no Sul. De acordo com a investigação, eles seriam intermediários entre os servidores e as empresas que se beneficiaram com o cancelamento de dívidas de impostos e a emissão de falsas certidões negativas.

Uma força tarefa composta por 10 a 12 especialistas do Ministério Público Federal e da Polícia Federal fará, a partir da semana que vem, uma auditoria em todos os processos dos últimos cinco anos na delegacia de arrecadação tributária do Rio, comandada por José Góes Filho.

A devassa busca levantar mais dados sobre a fraude da quadrilha que anulava dívidas da Receita no Rio de Janeiro, causando um rombo que pode chegar a R$ 1 bilhão.